Review Garmin Virb Elite

Garmin Virb Elite
Garmin Virb Elite

Faz algum tempo que tenho em mãos a câmera de ação Virb Elite da Garmin. Não é um modelo dos mais atuais, aliás a empresa até deixou de fabricá-la recentemente em detrimento dos modelos Virb X e XE. Ainda assim é uma câmera muito boa que conta com recursos que até hoje não estão presentes em modelos concorrentes mais novos. Exemplo disso é o GPS interno e outros que citarei abaixo

Para começar, esta câmera de ação tem um formato um pouco diferente das demais, principalmente de sua principal concorrente (GoPro). Seu design a meu ver proporciona um melhor encaixe na mão. O material emborrachado ajuda ainda mais a não escorregar caso você vá utilizá-la desta maneira. Algumas de suas características são a resistência e durabilidade, possibilidade de gravação de vídeos em HD e fotos com 16 MP. Sua bateria (recarregável) suporta 3,5 horas de gravação em 1080p.

Sensores e conectividade

Outros detalhes curiosos desta câmera ficam por conta de sensores internos (acelerômetro, GPS, força G…) e conectividade com acessórios ANT+. Dentre estes acessórios estão medidores de velocidade/cadência, temperatura e freqüência cardíaca.

Ai você deve se perguntar: “Pra que tudo isso em uma câmera?” Simples, para inserir estas informações em seus vídeos e torná-los ainda mais legais. O programa Garmin Virb Edit para edição de vídeos (OSX e Windows) permite apresentar todos estes dados. Ele é um tanto limitado se comparado a programas como Final Cut, iMovie e outros, mas ainda assim vale a pena por este recurso. Outro exemplo legal você pode ler abaixo na parte de controles externos.

Filmagem

Ela permite fazer time-lapse nativo, vídeos em velocidade normal, reduzida (perfeito para gravar saltos ou outras cenas de ação) e acelerada, tem ainda recursos de estabilização digital, lente de correção de distorção e outros.

Por falar em filmagens, a câmera permite gravar das seguintes maneiras:

1080p: 1920×1080/30p (16:9)
Tall HD: 1280×960/48p (4:3)
Fast HD: 1280×720/60p (16:9)
Economy HD: 1280×720/30p (16:9)
Slow Mo HD: 1280×720/60p (16:9)
Super-Slow Mo: 848×480/120p (16:9)
Time Lapse: 1920×1080, frames variable (16:9)

Além das taxas de captura de quadro e resoluções, você também pode especificar o nível de zoom de vídeo:

– Zoom 1
– Zoom 2
– Ultra Zoom
– Wide

Fotografia

Dentro modo de foto que existem duas opções de resolução: 16:9 (12MP) e 4:3 (16MP e 8MP).

Também estão disponíveis os mesmos modos de zoom das filmagens. Em adição a estes recursos pode-se ativar o modo burst. (5 fotos seguidas capturadas um período de cerca de 2 segundos). Interessante para quem vai fotografar durante corridas ou do tipo. Outra funcionalidade interessante é o modo de temporizador, bem útil para fazer selfies. As opções de tempo são 2, 5, 10, 30 ou 60 segundos.

Corpo da câmera

Voltando a falar do corpo da Virb Elite, nela temos um grande botão deslizante na lateral para iniciar e parar as gravações de vídeo. Do outro lado botões de navegação de recursos, outro que serve tanto para confirmar configurações e como também fazer fotos e por fim um para ligar/desligar e trocar de menus. Na parte de trás, cobertos por uma proteção de borracha, ficam as portas mini-USB e mini-HDMI.

Acima fica a tela de 1.4″ (205×148 pixels) na qual podemos ver as fotos e vídeos gravados, o que está sendo capturado e também acessar todas as funcionalidades da câmera. Esta tela tem baixa resolução de propósito para que não gaste muita bateria. Falando em bateria, esta (que fica abaixo da câmera) tem uma das maiores autonomias em câmeras deste tipo (3,5 horas). Abaixo fica a entrada para bateria e também cartão de memória SD. Recomenda-se o uso de um classe 10 de 64Gb.

Dashboard

Dentre todos os menus presentes na tela há um bastante interessante chamado Dashboard. Ele exibe um painel informações de indicadores dos sensores, tais como velocidade, altimetria, distância percorrida, freqüência cardíaca, força-G, nascer e pôr do sol e até uma bússola.

Uso em água

É sempre algo a se preocupar com equipamentos eletrônicos. Neste ponto este modelo também se destaca das concorrentes por contar com selo IPX7. Isso significa poder ser mergulhada em até 1 metro de profundidade por no máximo 30 minutos. É pouco? Lembre-se de que isso é sem a caixa estanque como todas as demais. Já utilizei a minha em piscinas diversas vezes e não tive problema algum mas mesmo assim recomendo adquirir a caixa de mergulho.

Garmin Virb Elite e caixa de mergulho
Garmin Virb Elite e caixa de mergulho

A captura de imagens dentro da água é boa em condições ideais de luminosidade e mesmo com a caixa de mergulho é possível captar o som.

Controles externos

A Garmin caprichou nas opções de controle desta câmera. Há um acessório específico para isso (vendido separadamente), aplicativo para smartphones (iOS, Android e Windows Phone) e também dá para controlar através de diversos modelos de GPS, relógios fabricados por ela bem como através da VivoSmart, uma das suas melhores pulseiras fitness. Só faltou possibilitar o uso de Bluetooth com acessórios de terceiros já que são baratos e muito fáceis de encontrar.

Controle externo
Controle externo

Lá na parte de sensores e conectividade disse que falaria sobre um outro exemplo legal desta câmera. Bom que tal parear uma câmera Virb à outra câmera Virb? Sim, dá para conectar uma na outra (sem fios) e controlar todas em conjunto. Quer mais? E se desse para conectar essas duas à um outro controle (relógio, GPS, smartphone, pulseira de fitness…)? Mais? Adiciona ai sensores de velocidade/cadência, freqüência cardíaca, temperatura… Tudo funcionando em conjunto e gravando todas estas informações para exibir nos vídeos? Ficou ou não ficou interessante?

Mas nem tudo são maravilhas. Uma reclamação no quesito quesito controle fica por conta do aplicativo para smartphones. Ele funciona como controle para iniciar/pausar as filmagens, registrar fotos e dar acesso aos menus e até conta com recurso para localizar a câmera caso tenha perdido, mas só. Ele não permite edição/compartilhamento de fotos e vídeos, isso só com os modelos X e XE. Esta informação não está clara no site da fabricante e está presente apenas nas correspondentes lojas de aplicativos. Pena.

Acessórios na caixa e acessórios externos

Diversos acessórios de fixação já vem no pacote da Virb Elite. Eles permitem acoplar a câmera em superfícies curvas como capacetes, superfícies retas como pranchas e outros. Com as peças presentes podemos fazer diversas configurações diferentes para melhorar a posição na hora de utilizá-la. Curiosamente acompanha um conector para utilizar com acessórios de outras marcas (como todos os da GoPro) mas não vem um suporte para tripés. Se precisar deste é preciso comprar à parte.

Garmin Elite e acessórios da caixa
Garmin Elite e acessórios da caixa

Preciso fazer um adendo sobre um acessório presente na caixa já que este pode atrapalhar ou ajudar na captura de áudio. Diversos reviews que li/assisti sobre este modelo da Garmin acabaram pisando na bola sem perceber. É que a base de fixação da câmera vem com uma pequena cobertura que tampa o microfone. Ela serve para diminuir os ruídos de vento durante filmagens. Isso é muito comum caso vá utilizá-la em motos/bicicletas, na parte externa de carros/aviões, durante saltos de para-quedas… A solução para acabar com este problema é muito simples, basta tirar cobertura. É só  desparafusar e pronto, o som será capturado normalmente. Isso não é uma gambiarra, é feito para ser assim mesmo.

Acessório para redução de ruídos sonoros
Acessório para redução de ruídos sonoros

Adendo feito, vamos falar em acessórios externos. No site da empresa dá para comprar diversos suportes diferentes que permitem desde o uso em capacetes, pulso, peito, ombro, bicicleta… chegando até ao uso em cachorros (?!?). Podem ser bem úteis, isso vai depender de que tipo de filmagem quer fazer.

Para mergulhos mais profundos e/ou mais demorados é preciso utilizar a caixa estanque (vendida separadamente) da própria da empresa. Ai a coisa fica mais interessante por permitir mergulhos de até 50 metros de profundidade. Detalhe é que com este acessório só é possível acessar o controle de início/termino da gravação de vídeo.

Três sugestões que faço são:

  1. Comprar um parafuso estilo os da GoPro (os modelos da Garmin são mais curtos) para poder utilizar com acessórios de outras marcas pois normalmente são mais baratos.
  2. Adquirir um pole à prova d’água (muito semelhantes aos chamados “paus de selfie”).
  3. A caixa de mergulho é item obrigatório. Por mais que não vá praticar o esporte ele aumenta consideravelmente a proteção da câmera tanto na água quanto em quedas.

Sobre o uso de poles, pode parecer um tanto besta à princípio, mas vai por mim, nas filmagens de ação este é um recurso mais que obrigatório já que permite ampliar bastante o alcance do que se pretende registrar. Com a técnica certa também ajuda muito para estabilizar filmagens. Depois farei alguns outros posts com dicas de filmagem e falarei mais sobre este acessório.

Como disse, este não é o modelo atual da Garmin, ela agora vende (ainda não no Brasil) os modelos X e XE. Mas pela quantidade de recursos nativos (ainda não encontrados em diversas concorrentes) e as possibilidades de uso em conjunto com sensores externos (ANT+) acho que vale sim o investimento, principalmente se encontra alguma promoção por ai.

Comparativo Garmin Viago e Here Maps no iPhone

Nokia Here Maps vs Garmin Viago - Visão geral de rota
Nokia Here Maps vs Garmin Viago – Visão geral de rota

Conforme comentei no post anterior, a Nokia (a verdadeira) liberou o Here Maps para iOS. Por enquanto apenas para iPhone, uma versão para iPad disseram que virá com o tempo pois querem aprimorar bem a usabilidade e experiência do aplicativo primeiro.

Realizei diversos testes com o Here Maps no iPhone e gostaria de compartilhar minha opinião comparando-o com o Garmin Viago (review aqui). Antes de mais nada, hoje considero estes dois dos melhores, se não os melhores aplivativos de navegação por GPS para iOS. Esquece Google Maps, Waze ou mesmo o Apple Maps. Aplicativo deste tipo DEVE ter mapas offline. Ingênuo é quem acha que vai pegar estrada dependendo de sinal de celular.

Nokia Here Maps vs Garmin Viago - Rota em curso
Nokia Here Maps vs Garmin Viago – Rota em curso

Mas vamos aos pontos comparativos:

Preço:
Vamos ao ponto onde mais atrapalha no comparativo. O Garmin Viago é muito bom e bastante completo, mas diversos pontos positivos deste se perdem aqui. Para ter a maioria dos recursos é preciso pagar. A começar pelos mapas offline ($19,99 pelos mapas de cada continente). Para que ele fique bem completo (e realmente fica) é preciso desembolsar uma quantia razoável. No final das contas para ter os principais recursos fácil fácil vão ai uns $60. Já no Here Maps TUDO é grátis, incluíndo mapas e suas atualizações, serviços online, informação de trânsito…

– Ponto para o Here Maps.

Mapas
Aqui não há muito o que dizer já que ambos utilizam a mesma base de mapas, os da Nokia. Então não há praticamente diferença aqui. Só não sei dizer quanto às atualizações destes no Garmin Viago. Claro que o Here terá sempre os mais atuais liberados pela finlandesa.

Como não tenho certeza de como ficará o futuro do Garmin Viago, vou considerar por enquanto um empate.

– Empate

Rotas
Os dois aplicativos contam com três tipos de rotas, sendo elas de carro, através de transporte público e caminhando. Mas novamente o Garmin perde ponto pois para liberar o Urban Guidance (in app com transporte público e caminhadas) é preciso desembolsar mais $5, enquanto no Here é gratuito.

– Ponto para o Here Maps.

Fonte externa de informações
Ambos contam com fontes extras para informações sobre estabelecimentos como hotéis, restaurantes e outros. O Here Maps trás informações do TripAdvisor, Lonely Planet e outros, já o Garmin Viago do Foursquare.

No Garmin Viago os dados são dentro do próprio aplicativo, é como se o Foursquare estivesse inserido nele. Já o Here apresenta poucos dados neste sentido e para visualizar mais informações é apresentado um link para abrir no Safari.

– Ponto para o Garmin Viago

Velocidade para encontrar pontos
A velocidade dos dois aplicativos é praticamente a mesma, não apresentando nada de tão diferente entre eles.

– Empate

Facilidade de uso
O Garmin Viago não é complicado, mas precisa de um certo tempo para conhecer como funcionam seus recursos. Já o Here Maps é mais simples. Pode não parecer nada de mais, mas isso é importante quando se está em movimento, principalmente dirigindo (não recomendo fazer isso).

– Ponto para o Here Maps

Sincronização online
Neste ponto o Garmin Viago não tem como competir simplesmente porque não possui este recurso. Até comentei no review deste aplicativo como ponto negativo. Desta maneira, caso tenha de reinstalar ou instalar em outro aparelho perde-se todos os POIs pessoais cadastrados.

Já o Here Maps conta com um ótimo serviço no qual é possível criar não apenas os locais, mas também separá-los em grupos. Muito útil para criar listas de locais para viagens específicas (ex. férias do ano, viajem de negócios…). Além dos pontos é possível criar rotas também via site e sincronizar com  o aplicativo, ou vice-versa.

– Ponto para o Here Maps

Recursos
Os dois contam com praticamente os mesmos recursos, dentre eles tipo de rota, mudança de cores de acordo com o horário (dia e noite), personalização de informações na tela, rotas a evitar, dados de trânsito, autozoom…

– Empate

Dados e avisos sobre trânsito
Os dois contam com informações sobre trânsito as quais são apresentadas na tela cada um à sua maneira através de coloração sobre as rotas. O Garmin Viago pode mostrar além disso uma lista com os pontos de engarrafamento, além do bem útil aviso por voz. Pena que para isso seja preciso colocar a mão no bolso novamente e pagar pelo recurso ($19,99). O Here Maps não conta com nada neste sentido, apenas pinta a pista com cores indicativas.

– Empate apenas por ser um gasto alto, do contrário seria ponto do Garmin Viago.

Alerta de velocidade da via / radares
Saber a velocidade da via é importante para evitar uma multa por correr muito. Ambos contam com este recurso. Já na questão de alerta de pontos de radares (chamados pardais aqui em Brasília) os dois pecam pela falta. Na verdade o Garmin Viago até conta com isso, mas através de outra compra ($9,99) e este recurso está presente apenas para Europa e América do Norte.

– Empate

Idiomas disponíveis
Por enquanto o Here Maps para iOS está apenas em inglês e conta com vozes em alemão, espanhol, francês, inglês e italiano. É temporário pois para as outras plataformas o português (brasileiro) está disponível. O Garmin Viago está todo em português, inclusive com voz gratuita.

– Ponto para o Garmin Viago (até que a Nokia libere em português)

Consumo de bateria
Fato: Aplicativos deste tipo gastam muita bateria. Sempre que foi pegar a estrada utilizando um é obrigatório levar um carregador veicular. Neste ponto a Nokia caprichou e incluiu um recurso para diminuir este consumo quando o aplicativo está em segundo plano e não se está guiando alguma rota.

– Ponto para o Here Maps

Resultado final
No somatório dos pontos positivos, contando também os empates, o Here Maps ficou na frente com 9 pontos e o Garmin Viago obteve uma pontuação de 7 o total. Resultado bem apertado e que pode mudar de acordo com a opinião de cada um. Nas minhas considerações o Here Maps é melhor e voltou a ser meu navegador principal.

Observação: No momento em que estou publicando este post o Garmin Viago não está aparecendo mais como disponível tanto na App Store (iOS) quanto na Play Store (Android). Estranho…

Review Gamin Viago no iPhone

Garmin Viago no iPhone

Já falei aqui no site sobre o Garmin Viago, mas na época apenas como notícia do lançamento e uma visão inicial. Hoje resolvi falar de detalhes que só foram possível observar após um tempo de uso. Este é um tipo de aplicativo que só dá para conhecer melhor utilizando na estrada, então nada melhor do que falar sobre ele após uma viagem.

Pontos positivos
Depois de aproximadamente 2500km utilizando o Garmin Viago acho que deu para conhece-lo bem. Assim como seu irmão mais velho, o Garmin Mobile XT (lembram dele? Comentei diversas vezes aqui) o Viago se mostrou um ótimo “estradeiro”.

Um dos detalhes que mais gostei no Viago foi a velocidade com que ele encontra os lugares de destino e calcula a rota até lá. Mesmo em se tratando de pontos em estados diferentes. Um ponto de destaque aqui é que a Garmin fez parceria com o Foursquare para que possamos fazer busca utilizando a base de informações deste sistema. É ótimo porque permite obter informações de, por exemplo, restaurantes e saber as opiniões de outras pessoas de dentro do Viago mesmo.

Em se tratando dos mapas, optei por pagar pelo “Maps to Go” para tê-los off-line, lembrando que para uso on-line são gratuitos. Mapas on-line são bons, mas na estrada não dá para confiar que terei sempre acesso à Internet. Falando em pagar, também optei por acrescentar alguns outros in-Apps ao pacote. Dentre eles o “Sound & Buiding” para ter a rota ditada de forma mais “humana”, o “Traffic Live” para fugir de possíveis engarrafamentos nas cidades por onde passei e por fim o “Panorama View 3D” para ter uma idéia melhor do terreno na estrada.

Gostaria de poder acrescentar também nesta lista o “Mobile Alert Live” que informa sobre radares (os famosos pardais como chamamos em Brasília). Pena que a Garmin ainda não inclui dados do Brasil, apenas de alguns países da América do Norte e Europa. Como não inclui passeios de metrô ou ônibus na viagem deixei de fora o “Urban Guidance” que informa intinerários dos transportes públicos.

Vamos aos detalhes destes recursos extras:

Maps to Go – Indispensável para mim nas estradas. Como disse antes não confio em ter apenas mapas on-line e correr o risco de ficar sem sinal. Até que a última versão está bem atualizada e percebi apenas um ou outro local que a informação não batia. Nada que atrapalhasse no final das contas.

Sound & Buiding – Este in-App é duplo e conta com prédios em 3D (poucos, na verdade quase nenhum) e narração com os nomes das ruas ao invés do tão comum “vire à direita”. Um detalhe curioso é que além de descrever melhor as instruções (vire na rua fulano de tal) a narração fica mais educada (sim, ela chega ao ponto de pedir “por favor siga até a rota indicada”) e intuitiva. Por intuitiva estou querendo dizer que ela passa a informar em que faixa deve ficar da rua e indicar para que bairro irá seguir.

Traffic Live – Na estrada não é muito útil, mas dentro das cidades ajuda bem. Como ele é possível ter informações sobre engarrafamentos e com isso tomar decisões de outros caminhos a seguir. Não chega perto do Waze neste ponto, mas é uma ajuda e tanto.

Panorama View 3D – Este é um in-App é o contrário do Traffic Live porque só faz algum sentido na estrada. Ele mostra de forma até convincente e tridimensional a superfície ao redor de você com montanhas e morros. Mas ai podem me perguntar no que isso é útil. Simples, para poder ter uma idéia melhor do que irá encontrar à frente na estrada. Útil para saber se lá adiante virá uma subida ou descida e assim poder decidir o melhor momento de fazer uma ultrapassagem segura. É preciso baixar as informações de terrenos e isso deve ser feito via Wi-Fi pois é uma quantidade considerável de dados.

Outros detalhes legais do aplicativo são as personalizações nas quais podemos configurar o que mostrar na tela (hora de chegada ao destino, distância, tempo, tempo de chegada a algum destino intermediário, distância até a via, direção de condução, elevação, velocidade…), modo de cores, design dos mapas, autozoom e outros. Detalhes de navegação também podem ser modificados (preferência de tipo de rota e elementos a evitar)

Pontos negativos
Para mim o maior ponto negativo, além de não poder contar com avisos de radares, é a impossibilidade de fazer backup da base pessoal de POIS. Isso é algo que havia na versão Mobile XT e não entendo porque não incluíram no Viago. Poderia até ser via serviço on-line, como é o caso do Here Maps. Com isso, se um dia tiver de instalar novamente o aplicativo ou instalar em outro aparelho é preciso cadastrar tudo novamente manualmente, um por um.

Outro ponto negativo é a narração não tão fluida do Sound & Buiding. Sim, ela é muito útil, mas a “Raquel” (narração em português brasileiro com indicação de ruas) se enrola um pouco com algumas palavras. Por exemplo o “pegue a rua XXX” fica “péguí a rua XXX” e as ruas ou avenidas que não tem nome cadastrado viram todas “estradas”. A narração da Beatriz (gratuita) é muito mais fluida (mas sem os nomes das ruas). Não atrapalha e logo se acostuma com a Raquel, mas poderia ser melhor já que este é um recurso pago.

Pontos de melhoria
A personalização de itens na tela é boa e funciona bem, mas já passou da hora da Garmin atualizar as imagens dos ícones de veículos. Ok, isso não é nada importante e sequer necessário, mas já que incluem isso há tanto tempo (desde o Mobile XT) poderiam ter uma lista mais atual.

Destinos pessoais são apresentados apenas em ordem de cadastramento. Até dá para editar e colocar da forma que quiser, mas manualmente. No Mobile XT era possível exibir esta lista em ordem de proximidade. Muito mais prático.

Existe uma opção de busca por endereços cadastrados nos contatos mas não consegui fazer funcionar. Mesmo tentando editar estes endereços de diversas formas diferentes nada fez que com este recurso desse certo.

Opinião final
O Garmin Viago tem alguns pequenos pontos que podem ser melhorados em futuras atualizações mas sem dúvida alguma é um excelente aplicativo. Não fica barato ter todos estes in-Apps que citei, mas valem bastante na hora de pegar a estrada. Com estes o pacote ficou bastante completo e transformou o iPhone em um verdadeiro GPS veicular. Gostei muito do conjunto todo e agora é meu preferido na hora de viajar. Vamos ver se isso irá se manter quando a Nokia resolver liberar o novo Here Maps para iOS.