Como transferir fotos e vídeos para o rolo da câmera dos iPhones e iPads

Como exportar fotos e vídeos para o iPhone e iPad
Como exportar fotos e vídeos para o iPhone e iPad

Recentemente passei por uma situação um tanto inusitada para mim. Precisava transferir alguns vídeos que gravei com uma câmera para dentro do iPhone. A idéia era utilizar alguns aplicativos para fazer edições nestes vídeos. O problema é que como sabem a transferência neste sentido (computador para iTreco) não é muito do feitio da Apple.

Mais um detalhe, no meu caso as soluções via Wi-Fi (Portal, InstaShare, Pushbullet…) não são opções viáveis pois várias das redes que utilizo (normalmente as de trabalho) não permitem este tipo de transferência. O AirDrop seria uma possibilidade se meu Macbook Air permitisse fazer essa conexão com o iPhone.

A solução que consegui é um tanto “caseira”, mas resolveu. O primeiro passo foi instalar no iPhone um aplicativo com capacidade de exportação para dentro do rolo da câmera do iPhone. Para isso escolhi o Documents da Readdle. Gratuito e conta com diversos outros recursos interessantes, mas que não são o foco agora.

A primeira etapa, no computador:

  1. Conecte seu iPhone ou iPad em seu computador.
  2. Inicie o iTunes e espere que este detecte o seu dispositivo.
  3. Uma vez detectado, clique no botão iPhone (ou iPad) no canto superior da janela do iTunes.
  4. Clique em “Aplicativos” e role a tela até que apareça a seção “Compartilhamento de Arquivos”.
  5. Na lista, selecione o aplicativo “Documents“.
  6. Neste ponto basta arrastar e soltar os vídeos ou as fotos do seu computador para o painel ao lado direito.
  7. Suas fotos e vídeos selecionados serão transferidos para o armazenamento local do aplicativo Documents.

Segunda etapa, no iPhone/iPad

  1. Abra o aplicativo Documents no seu dispositivo iOS e vá até o local onde seus arquivos estão aguardando. No meu caso ficaram em uma pasta chamada “Arquivos do iTunes”.
  2. Abra esta pasta e selecione a imagem.
  3. Toque nos três pontos e depois em “Salvar no Rolo da Câmera”.
  4. Pronto, agora você já pode utilizar estas fotos e vídeos no aplicativo que quiser.

Há como fazer um procedimento direto do computador para o aplicativo Documents sem utilizar o iTunes, mas ai volta a ter de utilizar Wi-Fi. É mais simples, mas também mais lento e dependerá de permissões da rede utilizada permitir isso.

Fica a dica.

Atualização: Alguns passos foram modificados em uma das últimas atualizações do Documents e ficou ainda mais simples.

Download na iTunes App Store

WD My Cloud – Sua própria nuvem pessoal

WD My Cloud - Nuvem pessoal
WD My Cloud – Nuvem pessoal

Hoje falar em nuvem de dados é algo bastante comum. Nomes como Dropbox, Google Drive, iCloud, OneDrive são mais que conhecidos. Mas e nuvem própria? Sim, é possível ter uma armazenada ai na sua casa, escritório ou onde mais achar conveniente. Tenho testado há algum tempo o WD My Cloud, um NAS (Network Access Storage) básico voltado para uso doméstico.

Há alguns modelos semelhantes da marca que vão de 2 a 4 TB os quais bastam estar conectados ao roteador para permitir acesso remoto ao seu conteúdo. O que tenho em mãos é o de menor capacidade (2TB) mas todos podem ser ampliados bastando conectar outro HD externo em sua porta USB (3.0).

Gostei do fato deste ter um visual bem limpo e discreto, sendo basicamente branco com uma pequena parte cinza. A única luz frontal (azul) é bem sutil e pode ainda ser desligada caso queira. Lembrando que esta indica o status do NAS. A conexão com o roteador é feita exclusivamente através de cabo e pode ser tanto a 100 Mb/s ou 1 Gb/s, dependendo do seu roteador. No meu caso conectei a um Apple Airport Express sem a menor dificuldade.

Falando nisso, outro dia me perguntaram se a instalação e configuração é complicada. Não, é bem simples e não requer muitos conhecimentos técnicos. Após conectá-lo ao roteador é só acessar o endereço “http://wdmycloud” e seguir as instruções. Basicamente é só escolher o idioma, login e senha para o primeiro acesso. Depois, se for o caso é possível criar outros usuários, cada um com seu acesso diferenciado. Há outra maneira de fazer esta instalação através de programa próprio da WD (disponível para OSX e Windows). Seguindo pela instalação sem aplicativo, após a criação do usuário você será redirecionado para uma tela de administração com diversas configurações e informações. É aqui também que se pode atualizar o firmware do sistema.

WD My Cloud - Tela inicial
WD My Cloud – Tela inicial

Sobre o sistema, não espere muita coisa avançada. Nada de instalar cliente de Torrent, servidor web, download automatizado, sincronia com outras redes… O WD My Cloud tem o intuito de funcionar como armazenamento de dados e backup (funciona muito bem com o Time Machine dos Macs). Se você tiver algum dispositivo com DNLA (como uma smartTV) é possível acessar seus arquivos de mídia e até mesmo a biblioteca do iTunes. Claro que isso também funciona através da internet, afinal é para isso que serve um NAS.

Falei que dá para conectar um HD externo ao WD My Cloud certo? Não preciso dizer que o mesmo serve para pendrives. Tanto um quanto o outro podem ser utilizados não apenas para ampliar a capacidade de armazenamento, mas também para criar pontos de segurança, os “Safepoints”. Assim é possível recuperar seus dados se houver alguma falha grave no NAS. Gostei disso apesar de esperar nunca precisar restaurar arquivos desta forma, mas é bom saber que há esta opção.

Se o programa para desktop é útil, os aplicativos móveis não ficam atrás. Não testei as versões para Windows Phone ou Android, apenas a do iOS, e esta digo que funciona muito bem. Neste aplicativo há possibilidade de acessar não só o NAS mas também outras redes como Dropbox, Google Drive e OneDrive (senti falta do iCloud). Com isso optei por desinstalar o outro aplicativo que utilizava antes para centralizar tudo isso no My Cloud.

WD My Cloud - Aplicativo iOS
WD My Cloud – Aplicativo iOS

A velocidade de acesso aos arquivos, independente da maneira que fizer, é boa. Apenas as primeiras transferências demoraram consideravelmente porque armazenei tudo que tinha espalhado em outros HDs, pendrives e CDs/DVDs (sim, ainda tinha alguns, agora acabou). Um detalhe legal do WD My Cloud é que há também a possibilidade de criar pastas públicas para compartilhar arquivos com quem quiser. Tome cuidado com o que vai compartilhar e evite fazer pirataria. 😉

Minha opinião sobre o WD My Cloud: Gostei bastante do equipamento e está me atendendo muito bem. Os backups via Time Machine estão funcionando sem problemas e sequer percebo quando estes acontecem. O recurso de ser avisado via e-mail quando algo errado acontece (reinício de sistema por exemplo) é bastante útil. Acesso móvel através de smartphone também é uma mão na roda.

Aplicativo ClickBus permite comprar passagens de ônibus (interestaduais) via smartphone

Aplicativo ClickBus permite comprar passagens de ônibus via smartphone
Aplicativo ClickBus permite comprar passagens de ônibus via smartphone

Que tal comprar passagens para viagens de ônibus através do seu smartphone? Confesso que nisso eu nunca pensei, até porque normalmente não utilizo este tipo de transporte. Mas agora que vi o aplicativo me pareceu tão óbvio que me admira alguém não ter feito isso antes. Um detalhe que gostei é que ele funciona exatamente da mesma maneira que a maioria dos aplicativos para compra de passagens aéreas: Escolhe-se o trajeto (origem / destino), datas, passagens e poltrona no ônibus. Simples assim.

As passagens, até onde informa o aplicativo, são retiradas em máquinas de atendimento nas rodoviárias. Acredito que na falta destas, os bilhetes sejam retirados diretamente nos guichês de atendimento das empresas rodoviárias. Seria interessante se também fosse utilizado um leitor de código de barras nas rodoviárias para facilitar ainda mais a vida dos passageiros. Se não fazem isso, fica a dica para a empresa.

A empresa por trás do aplicativo foi bem esperta em fechar parceria com as principais viações (a lista é grande, confiram no site) assim fica mais fácil para os clientes. Por falar nisso, também no site é possível verificar quais são as rotas e rodoviárias atendidas.

Download na iTunes App Store Baixar no Google Play

Fica a dica!

Aonde fui roubado – Informações e estatísticas criminais na tela do seu smartphone

Aonde fui roubado - Informações e estatísticas criminais na tela do seu smartphone
Aonde fui roubado – Informações e estatísticas criminais na tela do seu smartphone

Este é um daqueles aplicativos bem úteis e interessantes, mas que seria melhor não serem necessários. Infelizmente vivemos em um mundo no qual ele precisa existir. Não foi a melhor maneira de começar um post, eu sei. Então vou deixar o pessimismo de lado e falar sobre o aplicativo.

Com o “Aonde fui Roubado” podemos saber aonde aconteceram crimes em diversas cidades, no momento em que estou escrevendo este post estão cadastradas 862. De maneira bem simples podemos obter informações sobre assaltos, roubos, furtos e tudo mais ao nosso redor, bastando abrir o aplicativo e ver no mapa.

Mas ai você pensa, “e pra que eu quero saber isso“? Simples, para evitar que você seja a próxima vítima. Imaginem a seguinte situação: Você é novo em uma cidade, ou está apenas de passagem, e acaba entrando em um bairro mais perigoso por não saber disso. Já viu o que pode acontecer certo? Ou mesmo em sua cidade, é bom saber onde está ficando perigoso ou deixando de ser. Quer mais uma utilidade para o “Aonde fui Roubado”? Que tal saber se a vizinhança daquele imóvel que está pensando em comprar é perigosa?

O aplicativo permite também que você cadastre dados de algo que possa ter lhe acontecido, informando o tipo de crime, o que levaram, aonde, quando… Todas estas informações farão parte das estatísticas do local. Por falar nisso, esta é uma informação muito bem analisada tanto no aplicativo quanto no site oficial. Quer ver um exemplo? Clique aqui. Com se não bastasse tudo isso o aplicativo conta também com algumas dicas de segurança que podem ser bastante úteis, que mesmo para quem pensa saber todas é bom lembrar de vez em quando.

Por enquanto está disponível apenas para iOS ou através do site, mas acho que deveria ser liberado para todas as plataformas. Digo mais, este deveria ser um serviço de utilidade pública fornecido pelos órgãos governamentais.

Aproveito para deixar uma sugestão aos desenvolvedores. Que tal se incluírem alguma espécie de aviso aos usuários para quando estiverem entrando em alguma região mais perigosa? Poderia ser através de vibração, mensagem sonora caso esteja ouvindo música, na tela se estiver usando com algum aplicativo de GPS no carro. Quem sabe até algo em smartwatches pareados com o celular?

Para baixar o “Aonde fui Roubadobasta clicar aqui, ou através do QR Code abaixo:

Aplicativo Ruim de Roda – Ajude a denunciar os maus motoristas de sua cidade

Ajude a denunciar os maus motoristas de sua cidade
Ajude a denunciar os maus motoristas de sua cidade

Essa dica via para você que, assim como eu, fica revoltado quando vê alguém fazendo besteira automotiva nas ruas. Sabe aquelas pessoas folgadas que param o carro onde não podem (vaga de deficiente, pegando duas vagas, sobre faixa de pedestre…), que dirigem com os faróis desligados à noite, fazem racha nas ruas… Pois bem, agora é possível registrarmos essas situações e com isso tentarmos ajudar a melhorar um pouco o transito.

Não, essa não é uma ação dos Detrans, mas de três desenvolvedores de aplicativos. Henrique Velloso, Matheus Frozzi e Moisés Pio criaram um aplicativo chamado Ruim de Roda. Este aplicativo permite fazer registros anônimos (?!?) destas barbeiragens. Basta fotografar o carro (pode moto também?) infrator e compartilhar o problema detectado com a placa e localização.

Através do aplicativo ou do site, que é quase como uma rede social, é possível visualizar todos os registros compartilhados por outros usuários do “Ruim de Roda”. O legal é que isso pode ser útil às autoridades para que autuem os infratores, ou para ter uma idéia melhor de locais onde ocorram com mais frequencia determinados problemas.

Um outro recurso interessante do aplicativo é que pode-se cadastrar a sua própria placa e assim você é avisado de que alguém fez uma denúncia. É interessante pois você pode ter feito algo errado sem perceber (estacionar em uma vaga reservada que a sinalização estava apagada por exemplo) e retirar seu carro de lá. Ou até mesmo se educar para que não cometa mais infrações.

O “Ruim de Roda” por enquanto está disponível apenas para iOS, mas acredito que dependendo do seu sucesso seja disponibilizado também para outras plataformas. Muito legal ver este tipo de iniciativa surgindo das pessoas comuns e não ficar apenas dependendo do governo. Só espero que não venha algum infrator revoltado querendo entrar na justiça reclamando por questões de privacidade ou exposição de seu carro. Sempre tem um que prefere esconder seus erros com este tipo de desculpa ao invés de se educar.

Link para downloadAcesso ao site