Relógios de corrida TomTom são descartáveis?

Bateria morrendo antes da hora? Obsolescência programada? Há solução? Calma que talvez o problema seja fácil de resolver.
Bateria morrendo antes da hora? Obsolescência programada? Há solução? Calma que talvez o problema seja fácil de resolver.

Sempre que tenho um produto em mãos que merece elogios o faço com prazer aqui no site, afinal merecem. Independente de serem emprestados por empresas (nunca me pagaram por isso) ou mesmo adquiridos, o que vale são os resultados obtidos em testes. Da mesma maneira, quando o produto é ruim me sinto na obrigação de também deixar minha opinião. Garmin que o diga, já elogiei e critiquei bastante seus produtos.

Sendo assim hoje venho deixar minha crítica à TomTom sobre um dos seus produtos mais procurados por corredores de rua: TomTom Spark 3. Já vi muito Youtuber ir à eventos de corrida rasgar elogios aos relógios da marca mas não encontrei nenhum deles sequer comentar sobre um problema que parece ser bastante comum aos relógios dela: “Morte programada da bateria”.

O problema

Há pouco mais de um ano minha esposa adquiriu um relógio TomTom Spark 3. O aparelho é super completo, faz medições para vários tipos de esportes diferentes, GPS rápido, à prova d’água, medidor de batimentos cardíacos sem necessidade de fita no peito, aplicativo, marcação de treino, Bluetooth, armazenamento de músicas na memória interna e uma série de outros recursos legais. Mas, e aqui começa o problema, ele aparentemente tem prazo curto de vida.

O relógio em questão começou a apresentar uma mensagem na tela informando falta de energia mesmo tendo acabado de ser carregado completamente. Nas primeiras vezes bastava conectar novamente o carregador que voltava ao normal. Mas de uma hora para a outra parou de vez e mesmo repetindo este procedimento, ao final da carga voltava a apresentar a mesma informação.

Se fosse um aparelho com muitos anos de uso e que tivesse acabando assim os ciclos de vida da bateria eu até entenderia, bateria realmente tem tempo útil, mas não me parece ser o caso. Só para comparação tenho um Suunto Ambit 3 Sport com três anos de uso constante. Já realizei 800 treinos com ele (sim, eu contei) e até hoje funciona muito bem. Já este TomTom em questão tem apenas UM ano e pouco e foi utilizado somente 140 vezes.

Estranhei o fato dele com tão pouco tempo começar a alertar sobre problema de bateria. Em uma rápida busca por informações encontrei muitos casos de outras pessoas relatando o mesmo. No ReclameAqui e no YouTube (um exemplo) há vários relatos e todos dizem o mesmo: Depois de um ano e pouco começaram a apresentar a mesma mensagem de problema de bateria. No fórum oficial da TomTom (em inglês) encontrei reclamações de até seis anos atrás, com mais de dezoito mil visualizações, relatando este mesmo defeito.

Entrei em contato com a assistência técnica e me informaram o mesmo que li nos relatos: “A TomTom não presta manutenção em seus relógios e não troca bateria, ao invés disso dá 50% de desconto para a compra de outro”. Parece uma resposta padrão e é isso. Quer compre outro, não tem o que fazer.

Óbvio que uma resposta como essa não me agradou ou passou o mínimo de profissionalismo. Eles sequer tentaram fazer algum teste para verificar se era realmente problema de bateria. Foi um “cliente, toma ai um desconto e se quiser compra outro”.

Solução

Resolvi investigar mais um pouco antes de tomar alguma decisão sobre o que fazer e nisso acabei deixando o relógio de lado por alguns dias. Foi então que reparei na falha do discurso do suporte e da mensagem no relógio. Como é que um aparelho com bateria estragada, a ponto de não deixar fazer mais nada, fica uma semana inteira com a tela ligada mostrando que está sem bateria? Como é possível isso? Se não tem bateria, qualquer aparelho que seja desliga. Simples assim.

Baixei o programa TomTom Sports Connect para meu computador, conectei o relógio com o cabo carregador e atualizei o sistema dele. Sabem o que aconteceu? Voltou a funcionar normalmente como se nunca tivesse tido problema algum. O relógio está em funcionamento há uma semana e nada de apresentar a mensagem de bateria ruim.

Opinião

Como é que a TomTom e o seu suporte não fizeram um teste assim com tantas reclamações de seus clientes? Não é um problema novo e não é de um produto apenas, o mesmo acontece com vários relógios diferentes. Para mim ficou aquela impressão de “obsolescência programada” já que todos os relatos que li dizem a mesma coisa: Um ano, um ano e pouco de uso (logo depois de acabar a garantia) e dá-lhe mensagem de bateria estragada sem aparentemente estar estragada. Claro que não são em todos os relógios da marca que acontece isso, do contrário já teriam boicotado a empresa há muito tempo, mas que parece mesmo ter algo de errado ai parece.

Se você que está lendo isso estiver passando por este problema, tente fazer o que fiz. Fico na torcida para que dê certo. Agora, se você não tem relógio desta marca e está pensando em adquirir um… pense novamente nisso e pesquise outras opções. Não custa nada fazer isso antes.

510 Total 7 Hoje