Relógios de corrida TomTom são descartáveis?

Bateria morrendo antes da hora? Obsolescência programada? Há solução? Calma que talvez o problema seja fácil de resolver.
Bateria morrendo antes da hora? Obsolescência programada? Há solução? Calma que talvez o problema seja fácil de resolver.

Sempre que tenho um produto em mãos que merece elogios o faço com prazer aqui no site, afinal merecem. Independente de serem emprestados por empresas (nunca me pagaram por isso) ou mesmo adquiridos, o que vale são os resultados obtidos em testes. Da mesma maneira, quando o produto é ruim me sinto na obrigação de também deixar minha opinião. Garmin que o diga, já elogiei e critiquei bastante seus produtos.

Sendo assim hoje venho deixar minha crítica à TomTom sobre um dos seus produtos mais procurados por corredores de rua: TomTom Spark 3. Já vi muito Youtuber ir à eventos de corrida rasgar elogios aos relógios da marca mas não encontrei nenhum deles sequer comentar sobre um problema que parece ser bastante comum aos relógios dela: “Morte programada da bateria”.

O problema

Há pouco mais de um ano minha esposa adquiriu um relógio TomTom Spark 3. O aparelho é super completo, faz medições para vários tipos de esportes diferentes, GPS rápido, à prova d’água, medidor de batimentos cardíacos sem necessidade de fita no peito, aplicativo, marcação de treino, Bluetooth, armazenamento de músicas na memória interna e uma série de outros recursos legais. Mas, e aqui começa o problema, ele aparentemente tem prazo curto de vida.

O relógio em questão começou a apresentar uma mensagem na tela informando falta de energia mesmo tendo acabado de ser carregado completamente. Nas primeiras vezes bastava conectar novamente o carregador que voltava ao normal. Mas de uma hora para a outra parou de vez e mesmo repetindo este procedimento, ao final da carga voltava a apresentar a mesma informação.

Se fosse um aparelho com muitos anos de uso e que tivesse acabando assim os ciclos de vida da bateria eu até entenderia, bateria realmente tem tempo útil, mas não me parece ser o caso. Só para comparação tenho um Suunto Ambit 3 Sport com três anos de uso constante. Já realizei 800 treinos com ele (sim, eu contei) e até hoje funciona muito bem. Já este TomTom em questão tem apenas UM ano e pouco e foi utilizado somente 140 vezes.

Estranhei o fato dele com tão pouco tempo começar a alertar sobre problema de bateria. Em uma rápida busca por informações encontrei muitos casos de outras pessoas relatando o mesmo. No ReclameAqui e no YouTube (um exemplo) há vários relatos e todos dizem o mesmo: Depois de um ano e pouco começaram a apresentar a mesma mensagem de problema de bateria. No fórum oficial da TomTom (em inglês) encontrei reclamações de até seis anos atrás, com mais de dezoito mil visualizações, relatando este mesmo defeito.

Entrei em contato com a assistência técnica e me informaram o mesmo que li nos relatos: “A TomTom não presta manutenção em seus relógios e não troca bateria, ao invés disso dá 50% de desconto para a compra de outro”. Parece uma resposta padrão e é isso. Quer compre outro, não tem o que fazer.

Óbvio que uma resposta como essa não me agradou ou passou o mínimo de profissionalismo. Eles sequer tentaram fazer algum teste para verificar se era realmente problema de bateria. Foi um “cliente, toma ai um desconto e se quiser compra outro”.

Solução

Resolvi investigar mais um pouco antes de tomar alguma decisão sobre o que fazer e nisso acabei deixando o relógio de lado por alguns dias. Foi então que reparei na falha do discurso do suporte e da mensagem no relógio. Como é que um aparelho com bateria estragada, a ponto de não deixar fazer mais nada, fica uma semana inteira com a tela ligada mostrando que está sem bateria? Como é possível isso? Se não tem bateria, qualquer aparelho que seja desliga. Simples assim.

Baixei o programa TomTom Sports Connect para meu computador, conectei o relógio com o cabo carregador e atualizei o sistema dele. Sabem o que aconteceu? Voltou a funcionar normalmente como se nunca tivesse tido problema algum. O relógio está em funcionamento há uma semana e nada de apresentar a mensagem de bateria ruim.

Opinião

Como é que a TomTom e o seu suporte não fizeram um teste assim com tantas reclamações de seus clientes? Não é um problema novo e não é de um produto apenas, o mesmo acontece com vários relógios diferentes. Para mim ficou aquela impressão de “obsolescência programada” já que todos os relatos que li dizem a mesma coisa: Um ano, um ano e pouco de uso (logo depois de acabar a garantia) e dá-lhe mensagem de bateria estragada sem aparentemente estar estragada. Claro que não são em todos os relógios da marca que acontece isso, do contrário já teriam boicotado a empresa há muito tempo, mas que parece mesmo ter algo de errado ai parece.

Se você que está lendo isso estiver passando por este problema, tente fazer o que fiz. Fico na torcida para que dê certo. Agora, se você não tem relógio desta marca e está pensando em adquirir um… pense novamente nisso e pesquise outras opções. Não custa nada fazer isso antes.

Quer saber como transformar suas corridas em arte decorativa?

Quer saber como transformar suas corridas em arte decorativa?
Quer saber como transformar suas corridas em arte decorativa?

Se tem uma coisa que todo corredor gosta é de guardar na memória ou compartilhar suas vitórias. Alguns vão mais longe e guardam seus números de peito para transformar em quadros para decorar suas casas. Mas e se fosse possível subir um pouco o nível e transformar suas lembranças em arte?

Outro dia comentei como aproveitar as informações geradas durante nossos exercícios para análise e até como ganhar dinheiro ou descontos com isso. Hoje vou mostrar como transformar em decoração. Da mesma forma que antes, você precisa ter suas corridas sincronizadas com o Strava para que assim você possa utilizar os serviços abaixo.

Pôsteres

Uma maneira bem moderna de enfeitar seu quarto, escritório ou loja é utilizando pôsteres. Que tal fazer isso com os percursos de suas provas? Alguns sites que encontrei que permitem fazer isso são o Sisu e o Strartwork. Em ambos é possível fazer alguma edição para personalizar sua arte.

Sisu e Strartwork
Sisu e Strartwork

O Strartwork permite baixar gratuitamente o pôster (em baixa resolução) e pagando uma taxa única de £5 libera quantos quiser em alta resolução. Já o Sisu é mais completo no quesito personalização e arte. Este último tem um visual final mais interessante em minha opinião.

Quadros

Routey, Route Ink e Athlete Data Viz
Routey, Route Ink e Athlete Data Viz

Aqui as opções são mais caras mas também mais completas já que podem ser encomendadas as artes já emolduraras. Todos os serviços que encontrei (Routey, Route Ink e Athlete Data Viz) funcionam de maneira parecida bastando você sincronizar o Strava para que ele crie os quadros com suas corridas. Mas o destaque fica com o Routey por permitir não apenas criar obras assim como também trazer percursos de provas mundialmente famosas como maratona de Nova Iorque, do Rio de Janeiro e outras.

Escultura 3D

Nice Trails
Nice Trails

Claro que no dias atuais não poderia faltar o tão famoso recurso de impressão 3D. Já imaginou enfeitar a mesa de trabalho, estante ou seu escritório com uma das suas trilhas uma escultura assim? Pois o serviço Nicetrails faz isso para você. Claro que os preços aqui são ainda mais caros e variam de acordo com o tamanho que desejar, mas o resultado é ainda mais interessante que os anteriores. Só fico imaginando que as melhores esculturas ficam para os corredores de montanha.

Informações de saúde nos exercícios físicos. Você sabe a melhor maneira de utilizar?

Como aproveitar as informações de seus exercícios?
Como aproveitar as informações de seus exercícios?

Não é de hoje as pessoas utilizam smartphones, smartbands e/ou relógios dedicados para praticar esportes. Falar em GPS, medição de frequência cardíaca, ritmo, medição de sono, contagem de calorias e tantas outras coisas é algo bem comum. Não precisa ser um geek para perceber isso, basta dar uma olhada em corridas de rua, academia, ir a algum parque para ver quantas pessoas fazem isso ou simplesmente abrir o Instagram para ser bombardeado por fotos com informações de exercícios.

Geramos muitos dados toda vez que praticamos algum tipo de esporte. São dados como distância percorrida, contagem de passos, calorias gastas e/ou consumidas, batimentos cardíacos, saturação de oxigênio, pressão arterial, lances de escadas subidos, tempo em pé, tempo de repouso e outros mais complicados como swolf, pace, potência e outros. Ufa!

Mas o que fazer com tudo isso? Será que você está tirando o melhor proveito destas informações? Se você é um atleta profissional e conta com um treinador competente claro que este saberá o que fazer, mas as dicas aqui não são para este público. Hoje vou falar o que eu, geek esportista amador, faço com meus dados. Quem sabe isso sirva para que você possa aproveitar melhor as suas informações ou até ajude a motivar a sair do sedentarismo.

Neste artigo vou citar vários aplicativos já citados aqui no NPossibilidades, para maiores detalhes sobre estes basta clicar em seus links correspondentes.

Captura de dados

Antes de pensar em utilizar algum dado é preciso capturá-lo e para isso o que mais temos à disposição são opções que vão das mais simples, passando pelas gratuitas até as mais caras,  e chegando até as mais complexas.

Vamos do básico: Aplicativos em smartphones. Existem os mais diversos para os mais variados esportes. Nomes como Nike+, Runtastic, Strava e outros são bastante comuns e fáceis de encontrar e atendem muito bem, mas são apenas os mais comuns, abaixo irei citar outros. Já algumas pessoas preferem opções mais dedicadas como relógios da Garmin, Suunto, Polar, Apple Watch ou pulseiras esportivas (smartbands).

Eu fico com uma mescla de dois tipos de solução. Utilizo um relógio Suunto Ambit 3 Sport que me permite fazer medições em todos os esportes que pratico (e até dos que um dia talvez faça) e junto a ele diversos aplicativos para estipular treinos e capturar informações variadas.

Alguns dos aplicativos são os da suite Freeletics (Bodyweight, Running e Gym), Nike+ Training, SWORKIT pro, diversos da Runtastic (PushUps, PullUps, SitUps, Six Pack, Leg Trainer, Butt Trainer e Squats), Fitness Point Pro e My Asics.

Todos este são para exercícios, mas a captura não termina ai. Utilizo também alguns para outras informações pertinentes à saúde. Dentre eles iCare Monitor (para medir pressão arterial, ritmo cardíaco, capacidade pulmonar, frequencia respiratória…), Sleep Cycle (qualidade do sono), Breathe+ (relaxamento – a vida precisa de pausas), Saldo de Água (lembrar de me hidratar) e MyFitnessPal (para ajudar na dieta).

Sincronização

RunGap - aplicativo para sincronizar dados entre diversos outros aplicativos
RunGap – aplicativo para sincronizar dados entre diversos outros aplicativos

Alguns dos aplicativos citados acima armazenam informações no Apple Saúde automaticamente, o que facilita bastante. Outros não fazem isso por puro desinteresse de seus desenvolvedores, como é o caso do Movescount (aplicativo do relógio Suunto). O que faço então é deixar meu relógio armazenar as informações durante os exercícios os quais são passados para o Movescount. Após isso aciono o aplicativo RunGap que permite fazer sincronização de diversas fontes diferentes (Garmin Connect, RunKeeper, Endomondo, Nike+, MapMyRun, Strava, Runtastic, SportsTracker, PolarFlow, Suunto Movescount), TomTom MySports, Adidas miCoach, TrainingPeaks, SportTracks, SmashRun, Magella Active, Dailymile, Fitbit, 2Peak, Løberute.dk, Polar Personal Trainer…) para o Apple Saúde ou vice versa.

Análise

Até aqui nada de diferente, tirando a quantidade de aplicativos (sim eu sei, sou viciado em aplicativos). Mas e a parte de “aproveitar os dados”? É agora que começa a brincadeira. Meu primeiro passo após a captura dos dados é o armazenamento em um local onde posso fazer algum tipo de análise. Como sou usuário de iPhone minha escolha óbvia é o Saúde (aplicativo nativo também conhecido como Apple Health). Para o Android acredito que o Samsung Health deva ser muito bom (desculpem não o conheço bem) e faça algo parecido (quem sabe até melhor?).

TactioSaúde - Aplicativo para analisar dados de saúde
TactioSaúde – Aplicativo para analisar dados de saúde

Para análise o Saúde não é dos melhores, mas serve como um agregador de informações. É nele que armazeno tudo gerado nos aplicativos citados acima e é a partir dele que outros aplicativos neste sentido conseguem trabalhar. Um dos melhores em minha opinião é o TactioHealth. Já comentei sobre ele anteriormente (confira aqui) mas basicamente o que este faz é mostrar como anda a sua saúde baseado em todas as informações que você gera. Ele até mostra gráficos como tantos outros, mas o melhor fica por conta dos resultados. Por exemplo, com suas informações sobre sono ele irá te dizer se dormiu o suficiente ou se as noites mal dormidas estão afetando a sua cognição. Qual o seu risco cardiovascular baseado na sua frequência cardíaca, quão saudável anda seu estilo de vida e outras informações.

Zones mostra informações sobre seus últimos exercícios
Zones mostra informações sobre seus últimos exercícios

Um outro que comecei a utilizar recentemente mas que tenho gostado bastante é o Zones. Ele consulta o Apple Saúde e mostra informações sobre seus últimos exercícios. São dados como tempo em cada zona cardíaca, calorias gastas, tempo, ritmo, intensidade e outros. Estatísticas comparativas entre seus esportes praticados em cada semana e outros. Sim, vários outros aplicativos mostram este tipo de coisa, mas o melhor vem agora. Você consegue neste criar painéis com visões diversas sobre seus exercícios da maneira que desejar. Por exemplo: Quais foram as suas corridas mais distantes (este ano, ano passado…)? Quais pedaladas você gastou mais calorias? Como anda o seu gasto mensal/semanal de calorias? Top 10 distancias praticadas por você na natação. Em que esporte você queimou mais calorias?… Como disse, o aplicativo permite que você faça os seus painéis comparativos.

HealthView - Quadro de informações
HealthView – Quadro de informações

O HealthView é uma espécie de “quadro geral” com todas as informações armazenadas no Apple Saúde. Totalmente personalizável, ele permite filtrar quaisquer dados que você achar mais relevantes e mostrar gráficos que podem ser divididos entre o dia atual, da semana, do mês e do ano. Conta também com um widget no qual você escolhe três dados para apresentar.

Stepz - Contagem de passos com direito a disputa entre amigos
Stepz – Contagem de passos com direito a disputa entre amigos

Stepz aplicativo para contagem de passos. Sim, é o mais simples dos aplicativos de análise desta lista, mas é interessante para ter uma idéia do quão ativo você fica durante o dia. Um lado interessante do Stepz é que além de te alertar como você anda (tuntiss) ele traz um pouco de “gameficação” para ajudar a manter o ritmo. Para isso conta com badges de conquistas e uma disputa saudável entre você e seus amigos para ver quem dá mais passos durante o dia.

Fitness Point - Musculação e medições
Fitness Point – Musculação e medições

O Fitness Point que falei acima na parte sobre captura de dados tem uma pequena parte na qual você pode analizar como anda o seu “crescimento”. É que além dele ter toda a parte de exercícios para quem pratica academia ele gera gráficos com suas medidas corporais. Útil para quem deseja este tipo de informação.

Outro interessante é o Deadline. Ele analisa seus dados de saúde, compara com os resultados de um questionário que você preenche e diz em que idade você irá morrer. Alguns vão dizer que é um pouco mórbido, mas depende de como você observa. Ele fica verificando o Apple Saúde e conforme você se exercita ele te mostra o quanto você aumentou sua expectativa de vida. Nada é oficial, não passa de uma brincadeira, mas é bom ter aquela sensação de que estamos no caminho certo mantendo um estilo de vida mais saudável.

QS Access - Importar dados para planilha
QS Access – Importar dados para planilha

QS Access – Esta dica vai para quem precisa exportar os dados do Apple Saúde para alguma outra aplicação, programa mais detalhado, seu médico… Este aplicativo permite criar planilhas no formato CSV com dados de TODOS os tipos armazenados por lá. Isso mesmo todos os dados de todos os tipos… tudo.

Descontos, dinheiro “fácil” e caridade

Aplicativo disponível para iOS e Android
Aplicativo disponível para iOS e Android

Sim, é possível conseguir descontos para compra de produtos através dos seus dados gerados durante exercícios. A dica não é nova mas ainda assim é válida. O aplicativo Heartbit (antigo Mova Maisveja aqui) faz isso. Pena que só aceita dados de caminhada, corrida e bicicleta. Além deste probleminha há ainda a falta de sincronização com diversos aplicativos de exercício. Fácil de resolver se o seu aplicativo preferido consegue sincronizar com o Strava. Basta ligar uma conta na outra e pronto, seus dados irão para o Heartbit, é assim que faço para meus dados do Movescount irem para lá.

Já a parte de ganhar dinheiro “fácil” fica por conta do aplicativo Beeminder. Nele você cria desafios pessoais os quais terá de realizar. Cumpriu o desafio recebe por isso, não fez paga para a empresa por trás do aplicativo. O Beeminder fica de olho nas suas metas através do Apple Saúde ou algumas outras opções à suas escolha.

Charity Miles - Aplicativo doa dinheiro para ONGs por seus exercícios
Charity Miles – Aplicativo doa dinheiro para ONGs por seus exercícios

Que tal além de descontos e dinheiro ajudar outras pessoas? Com o Charity Miles você ajuda em causas sociais diversas. Basta se exercitar que as empresas parceiras fazem doações para alguma das ONGs cadastradas, e você escolha qual delas. Para mais detalhes confira aqui.

Existem outras formas de aproveitar todas estas informações mas por hoje chega. O post já está muito grande e irei deixar para voltar a falar sobre este assunto outro dia. Aproveitem bem estas dicas e seus exercícios.

E a Maratona treinando com aplicativos?

Há alguns meses escrevi um texto falando sobre minha ideia de treinar para corridas apenas com a utilização de aplicativos (texto completo aqui). Nesta época disse que voltaria a falar no assunto quando tivesse alcançado meu objetivo de completar uma maratona. E ai, será que deu certo?

Orgulhosamente posso dizer que sim, consegui correr uma maratona! Domingo passado (18 de Julho de 2017) participei da Maratona Caixa do Rio de Janeiro, uma das, se não a prova mais bonita do Brasil. Ok, tem uma ainda mais bonita em Fernando de Noronha, mas lá é meia-maratona (um dia corro essa).

Mas voltando ao assunto dos aplicativos, contrariando as expectativas de várias pessoas, treinei utilizando somente estes e consegui concluir os tão difíceis 42,195km da prova. E mais, terminei sem lesões, caibras ou distensões. Ah, e antes que alguém diga que isso pode ter sido por algum fator físico anterior ou sei lá o que, deixa te dizer só mais uma coisa: Logo completarei 40 anos e peso mais de 90kg. Se tudo isso não serve para mostrar que é possível treinar com aplicativo, não sei mais o que pode.

Certo, mas qual foi o escolhido? Dos vários aplicativos que testei durante o ano passado, acabei ficando mesmo com o MY ASICS Run Training nos últimos meses. Este foi o que trouxe para mim o melhor treino e também o que se encaixou com minhas possibilidades de horários. Até utilizei outros aplicativos neste período de treinamento, mas foram para exercícios de força e abdominais já que sou um cara pesado. Mas treino de corrida mesmo foi apenas com o da Asics.

Vou continuar treinando assim e com o mesmo aplicativo? Provavelmente sim, ainda estou meio dolorido, no período pós-prova e restam duas semanas de recuperação da “planilha” dele. Depois disso acho que irei pensar na próxima maratona (ainda sem previsão) e voltar a configurá-lo para recomeçar os treinos. Ultramaratona? Quem sabe um dia?

Mas enfim, se você que está lendo isso e pensa em escolher alguma forma de treinar, tá aqui uma opção. No mais, deixo abaixo o vídeo que fiz durante a prova.

Abraços e bons treinos.

TripPlanner – Aplicativo/programa para organizar viagens

TripPlanner - Aplicativo/programa para organizar viagens
TripPlanner – Aplicativo/programa para organizar viagens

E lá vamos nós novamente pegar a estrada para fazer “maraturismo” (viajar para participar de alguma corrida). Desta vez voltarei ao Rio de Janeiro e agora para tentar a minha primeira maratona. Como de costume, o geek aqui continua sempre procurando e testando aplicativos para tentar deixar a vida mais fácil.

Resolvi agora testar outro aplicativo para gerenciar informações de viagem. Já brinquei com diversos, mas sempre sinto falta de algum recurso. Quando encontro um bom não faz tudo que quero e acabo tendo que utilizar mais de um (ô saudade do finado WorldMate).

Recentemente encontrei uma opção interessante chamada TripPlanner. Ele é formado por uma dupla sendo um aplicativo para iPhone/iPad e um programa para Mac. É bem simples e serve basicamente para gerenciar dados de itinerários, transportes (passagens aéreas, aluguéis de carros, bilhetes de trem…), acomodações e bagagem (roupas, itens de higiene e outros objetos). Tirando a última opção as demais contam também com contagem de despesas.

Os itens da “Packing List” (bagagem) podem ser reaproveitados para diversas viagens diferentes. Contei que você pode cadastrar informações para viagens diferentes e ter até as anteriores guardadas em seu histórico?

No geral o TripPlanner é bem simples e não conta com automações, buscas ou notificações. Neste quesito deixa a desejar para soluções mais modernas, mas a vantagem é que não depende de assinatura, não precisa de internet (importante para viagens internacionais), não fica toda hora tentando te empurrar algum recurso pago e tem a vantagem de poder fazer todo o gerenciamento prévio no Mac (bem mais fácil do que no smartphone). Não precisa sequer criar uma conta para utilizá-lo já que o sincronismo é via iCloud.

Download na iTunes App Store Download na MacAppStore