Relógios de corrida TomTom são descartáveis?

Bateria morrendo antes da hora? Obsolescência programada? Há solução? Calma que talvez o problema seja fácil de resolver.
Bateria morrendo antes da hora? Obsolescência programada? Há solução? Calma que talvez o problema seja fácil de resolver.

Sempre que tenho um produto em mãos que merece elogios o faço com prazer aqui no site, afinal merecem. Independente de serem emprestados por empresas (nunca me pagaram por isso) ou mesmo adquiridos, o que vale são os resultados obtidos em testes. Da mesma maneira, quando o produto é ruim me sinto na obrigação de também deixar minha opinião. Garmin que o diga, já elogiei e critiquei bastante seus produtos.

Sendo assim hoje venho deixar minha crítica à TomTom sobre um dos seus produtos mais procurados por corredores de rua: TomTom Spark 3. Já vi muito Youtuber ir à eventos de corrida rasgar elogios aos relógios da marca mas não encontrei nenhum deles sequer comentar sobre um problema que parece ser bastante comum aos relógios dela: “Morte programada da bateria”.

O problema

Há pouco mais de um ano minha esposa adquiriu um relógio TomTom Spark 3. O aparelho é super completo, faz medições para vários tipos de esportes diferentes, GPS rápido, à prova d’água, medidor de batimentos cardíacos sem necessidade de fita no peito, aplicativo, marcação de treino, Bluetooth, armazenamento de músicas na memória interna e uma série de outros recursos legais. Mas, e aqui começa o problema, ele aparentemente tem prazo curto de vida.

O relógio em questão começou a apresentar uma mensagem na tela informando falta de energia mesmo tendo acabado de ser carregado completamente. Nas primeiras vezes bastava conectar novamente o carregador que voltava ao normal. Mas de uma hora para a outra parou de vez e mesmo repetindo este procedimento, ao final da carga voltava a apresentar a mesma informação.

Se fosse um aparelho com muitos anos de uso e que tivesse acabando assim os ciclos de vida da bateria eu até entenderia, bateria realmente tem tempo útil, mas não me parece ser o caso. Só para comparação tenho um Suunto Ambit 3 Sport com três anos de uso constante. Já realizei 800 treinos com ele (sim, eu contei) e até hoje funciona muito bem. Já este TomTom em questão tem apenas UM ano e pouco e foi utilizado somente 140 vezes.

Estranhei o fato dele com tão pouco tempo começar a alertar sobre problema de bateria. Em uma rápida busca por informações encontrei muitos casos de outras pessoas relatando o mesmo. No ReclameAqui e no YouTube (um exemplo) há vários relatos e todos dizem o mesmo: Depois de um ano e pouco começaram a apresentar a mesma mensagem de problema de bateria. No fórum oficial da TomTom (em inglês) encontrei reclamações de até seis anos atrás, com mais de dezoito mil visualizações, relatando este mesmo defeito.

Entrei em contato com a assistência técnica e me informaram o mesmo que li nos relatos: “A TomTom não presta manutenção em seus relógios e não troca bateria, ao invés disso dá 50% de desconto para a compra de outro”. Parece uma resposta padrão e é isso. Quer compre outro, não tem o que fazer.

Óbvio que uma resposta como essa não me agradou ou passou o mínimo de profissionalismo. Eles sequer tentaram fazer algum teste para verificar se era realmente problema de bateria. Foi um “cliente, toma ai um desconto e se quiser compra outro”.

Solução

Resolvi investigar mais um pouco antes de tomar alguma decisão sobre o que fazer e nisso acabei deixando o relógio de lado por alguns dias. Foi então que reparei na falha do discurso do suporte e da mensagem no relógio. Como é que um aparelho com bateria estragada, a ponto de não deixar fazer mais nada, fica uma semana inteira com a tela ligada mostrando que está sem bateria? Como é possível isso? Se não tem bateria, qualquer aparelho que seja desliga. Simples assim.

Baixei o programa TomTom Sports Connect para meu computador, conectei o relógio com o cabo carregador e atualizei o sistema dele. Sabem o que aconteceu? Voltou a funcionar normalmente como se nunca tivesse tido problema algum. O relógio está em funcionamento há uma semana e nada de apresentar a mensagem de bateria ruim.

Opinião

Como é que a TomTom e o seu suporte não fizeram um teste assim com tantas reclamações de seus clientes? Não é um problema novo e não é de um produto apenas, o mesmo acontece com vários relógios diferentes. Para mim ficou aquela impressão de “obsolescência programada” já que todos os relatos que li dizem a mesma coisa: Um ano, um ano e pouco de uso (logo depois de acabar a garantia) e dá-lhe mensagem de bateria estragada sem aparentemente estar estragada. Claro que não são em todos os relógios da marca que acontece isso, do contrário já teriam boicotado a empresa há muito tempo, mas que parece mesmo ter algo de errado ai parece.

Se você que está lendo isso estiver passando por este problema, tente fazer o que fiz. Fico na torcida para que dê certo. Agora, se você não tem relógio desta marca e está pensando em adquirir um… pense novamente nisso e pesquise outras opções. Não custa nada fazer isso antes.

Como resolver o problema de sincronização e/ou pareamento da Mi Band 2

Como resolver o problema de sincronização e/ou pareamento da Mi Band 2
Como resolver o problema de sincronização e/ou pareamento da Mi Band 2

Se você chegou até este post muito provavelmente está passando por um dos dois problemas mais comuns da pulseira Mi Band 2 da Xiaomi. Sei que este não é um gadget novo e que há inclusive boatos de uma versão 3 no forno, mas como passei por isso e tive de descobrir na marra como resolver estes problemas achei melhor compartilhar estas dicas. Caso saiba de mais alguém com estes problemas, fique à vontade para retransmitir a dica.

Os problemas? São eles:

  • Aplicativo não mostra os dados
  • Problema com pareamento

Aplicativo não mostra os dados

Você comprou uma Mi Band 2 da Xiaomi e ela não sincroniza passos, dados de sono e outras informações com seu smartphone? Saiba que você não é o único a passar por isso. Também tive este problema recentemente e é impressionante como encontrei relatos de pessoas em diversos países diferentes, utilizando aparelhos de sistemas diferentes, passando pela mesma situação.

O erro é por um motivo tão esdrúxulo que me admira até hoje não terem corrigido o aplicativo. Ainda bem que a solução também é igualmente simples, o próprio aplicativo sem querer já dá uma pista de como resolver. Vamos lá:

  1. Abra o aplicativo Mi Fit e toque em Perfil.
  2. Em “Meus dispositivos” toque em Mi Band 2
  3. Role a tela até chegar em “Formato de hora”. 

Reparou que as duas únicas opções estão em formato 24 horas? Um mostra apenas a hora e o outro hora com data. Esta é a dica. O aplicativo não funciona direito se o formato de hora do aparelho estiver para o padrão 12 horas. Basta ir nas configurações do smartphone e mudar o padrão para 24 horas.

Problema com pareamento

Situação: Você precisou restaurar o iPhone ou comprou outro smartphone. Em qualquer um dos casos instalou o aplicativo Mi Fit novamente e não consegue parear com sua Mi Band 2. Novamente a solução é simples e não requer gambiarras ou instalação de aplicativos de terceiros.

  1. Acesse o site da sua conta Xiaomi – clique aqui
  2. Após logar, clique (ou toque) em “Contas & Permissões”.
  3. Remova a Mi Fit.

Reinicie o aplicativo em seu smartphone (talvez seja necessário reiniciar o aparelho) e faça novamente o pareamento normalmente.

Quer saber como transformar suas corridas em arte decorativa?

Quer saber como transformar suas corridas em arte decorativa?
Quer saber como transformar suas corridas em arte decorativa?

Se tem uma coisa que todo corredor gosta é de guardar na memória ou compartilhar suas vitórias. Alguns vão mais longe e guardam seus números de peito para transformar em quadros para decorar suas casas. Mas e se fosse possível subir um pouco o nível e transformar suas lembranças em arte?

Outro dia comentei como aproveitar as informações geradas durante nossos exercícios para análise e até como ganhar dinheiro ou descontos com isso. Hoje vou mostrar como transformar em decoração. Da mesma forma que antes, você precisa ter suas corridas sincronizadas com o Strava para que assim você possa utilizar os serviços abaixo.

Pôsteres

Uma maneira bem moderna de enfeitar seu quarto, escritório ou loja é utilizando pôsteres. Que tal fazer isso com os percursos de suas provas? Alguns sites que encontrei que permitem fazer isso são o Sisu e o Strartwork. Em ambos é possível fazer alguma edição para personalizar sua arte.

Sisu e Strartwork
Sisu e Strartwork

O Strartwork permite baixar gratuitamente o pôster (em baixa resolução) e pagando uma taxa única de £5 libera quantos quiser em alta resolução. Já o Sisu é mais completo no quesito personalização e arte. Este último tem um visual final mais interessante em minha opinião.

Quadros

Routey, Route Ink e Athlete Data Viz
Routey, Route Ink e Athlete Data Viz

Aqui as opções são mais caras mas também mais completas já que podem ser encomendadas as artes já emolduraras. Todos os serviços que encontrei (Routey, Route Ink e Athlete Data Viz) funcionam de maneira parecida bastando você sincronizar o Strava para que ele crie os quadros com suas corridas. Mas o destaque fica com o Routey por permitir não apenas criar obras assim como também trazer percursos de provas mundialmente famosas como maratona de Nova Iorque, do Rio de Janeiro e outras.

Escultura 3D

Nice Trails
Nice Trails

Claro que no dias atuais não poderia faltar o tão famoso recurso de impressão 3D. Já imaginou enfeitar a mesa de trabalho, estante ou seu escritório com uma das suas trilhas uma escultura assim? Pois o serviço Nicetrails faz isso para você. Claro que os preços aqui são ainda mais caros e variam de acordo com o tamanho que desejar, mas o resultado é ainda mais interessante que os anteriores. Só fico imaginando que as melhores esculturas ficam para os corredores de montanha.

Filho não atende ligação ou mensagens? Fácil resolver

Vivem com smartphones na mão mas não atendem seus pais. Como resolver?
Vivem com smartphones na mão mas não atendem seus pais. Como resolver?

Recentemente o “Show da Vida” (também conhecido como Fantástico) mostrou um aplicativo criado por um pai inglês para poder forçar o filho a responder toda vez que este tentava entrar em contato. Como sempre só esqueceram de falar o nome do aplicativo (ReplyASAP). Não é a primeira vez que este tipo de assunto entra na pauta do programa. Já mostraram um outro criado por uma mãe americana que passava pelo mesmo problema.

Sou do tempo que isso se resolvia de maneira muito menos tecnológica mas bem mais efetiva: Uma boa chinelada na criança/adolescente desobediente. Bastava uma vez para que nunca mais isso acontecesse. Mas como as coisas mudaram (para melhor?!?) falar nesta solução hoje causa muito mimimi.

Então vamos à uma dica que resolve sem ter de apelar para aplicativos de terceiros. Esta vai especificamente para usuários de iPhone.

A Apple disponibiliza um aplicativo chamado Buscar Meu iPhone que serve para outro fim, mas que também pode ser utilizado para resolver esta questão.

Primeiro você precisa configurá-lo:

Ativando o Buscar Meu iPhone
Ativando o Buscar Meu iPhone
  1. Toque em Ajustes > [seu nome] > iCloud. Se o dispositivo tiver o iOS 10.2 ou anterior, acesse Ajustes > iCloud.
  2. Role para baixo e toque em Buscar iPhone.
  3. Deslize o controle para ativar as opções Buscar iPhone.

Observação: O Apple ID de seu filho deve estar cadastrado como dependente do seu para isso funcionar. Para isso é só configurar o compartilhamento familiar (siga esta dica da Apple).

  1. Certo, feito isso abra o aplicativo Buscar Meu iPhone e encontre o dispositivo de seu filho(a) na lista.
  2. Toque em Ações > Modo perdido.
  3. Ative o Modo Perdido > Digite o seu número de contato.
  4. Na próxima tela você pode colocar algum recado como: “[Fulano] me ligue de volta ou seu telefone continuará bloqueado”.

Neste momento a única coisa possível com o telefone de seu filho será telefonar para o número que você informou no passo três acima. 😉

Para desbloquear o telefone:

  1. Abra novamente o Buscar Meu iPhone e encontre o dispositivo de seu filho(a) na lista.
  2. Toque em Ações > Modo perdido.
  3. Desative o Modo Perdido.

A lista de desejos na App Store do iOS sumiu. E agora?

O iOS novo veio cheio de modificações interessante, visual novo, recursos melhores e uma série de facilidades. Mas uma coisa que se perdeu no caminho foi a Lista de Desejos que estava presente na App Store e também na iTunes Store. Não sei se isso foi uma decisão definitiva ou temporária da Apple, mas é algo que me incomodou.

Ontem no Twitter percebi, através de uma dica do amigo Gustavo Faria (CocaTech) que isso está sendo sentido também por outras pessoas. Então resolvi compartilhar a maneira como eu resolvi driblar esta situação. A dica é simples mas pode ser útil.

Existem aplicativos que fazem algo até com mais recursos (recomendo dar uma olhada na dia do Coca) mas eu opto por tentar manter o básico e ficar com alguns recursos nativos do sistema. Minha escolha foi gravar a minha lista de desejos no aplicativo Notas do próprio iOS.

Organizando a "Lista de Desejos"
Organizando a “Lista de Desejos”

Basta criar nele uma pasta para armazenar o que quiser. No meu caso criei uma para aplicativos e jogos e dentro dela uma nota para cada tipo: Jogos AR, aplicativos, editores de vídeo, esportes… Isso vai conforme a necessidade. Acaba que fica ainda mais organizado e limpo que a antiga Lista de Desejos nativa.

Como ele já é integrado tanto com o iPhone quanto com o Mac fica fácil de utilizar. Quando encontrar algum aplicativo interessante basta tocar no botão de compartilhar (aquele com 3 pontinhos “…”) e em seguida selecionar Notas. Escolha a nota que quiser (ou crie neste momento) e pronto.

Vantagens desta solução

  • Não precisa instalar outro aplicativo / criar outra conta.
  • Organização.
  • Lista compartilhada automaticamente entre todos os seus iGadgets.
  • Edição da lista em grupo caso opte por compartilhar a nota com alguém.
  • Funciona com qualquer outra opção como iTunes Store, podcasts, lojas online…
  • De graça

Desvantagem desta solução

  • No caso da App Store não avisa quando itens mudam de preço como fazem alguns aplicativos. Infelizmente.