Como resolver o problema de sincronização e/ou pareamento da Mi Band 2

Como resolver o problema de sincronização e/ou pareamento da Mi Band 2
Como resolver o problema de sincronização e/ou pareamento da Mi Band 2

Se você chegou até este post muito provavelmente está passando por um dos dois problemas mais comuns da pulseira Mi Band 2 da Xiaomi. Sei que este não é um gadget novo e que há inclusive boatos de uma versão 3 no forno, mas como passei por isso e tive de descobrir na marra como resolver estes problemas achei melhor compartilhar estas dicas. Caso saiba de mais alguém com estes problemas, fique à vontade para retransmitir a dica.

Os problemas? São eles:

  • Aplicativo não mostra os dados
  • Problema com pareamento

Aplicativo não mostra os dados

Você comprou uma Mi Band 2 da Xiaomi e ela não sincroniza passos, dados de sono e outras informações com seu smartphone? Saiba que você não é o único a passar por isso. Também tive este problema recentemente e é impressionante como encontrei relatos de pessoas em diversos países diferentes, utilizando aparelhos de sistemas diferentes, passando pela mesma situação.

O erro é por um motivo tão esdrúxulo que me admira até hoje não terem corrigido o aplicativo. Ainda bem que a solução também é igualmente simples, o próprio aplicativo sem querer já dá uma pista de como resolver. Vamos lá:

  1. Abra o aplicativo Mi Fit e toque em Perfil.
  2. Em “Meus dispositivos” toque em Mi Band 2
  3. Role a tela até chegar em “Formato de hora”. 

Reparou que as duas únicas opções estão em formato 24 horas? Um mostra apenas a hora e o outro hora com data. Esta é a dica. O aplicativo não funciona direito se o formato de hora do aparelho estiver para o padrão 12 horas. Basta ir nas configurações do smartphone e mudar o padrão para 24 horas.

Problema com pareamento

Situação: Você precisou restaurar o iPhone ou comprou outro smartphone. Em qualquer um dos casos instalou o aplicativo Mi Fit novamente e não consegue parear com sua Mi Band 2. Novamente a solução é simples e não requer gambiarras ou instalação de aplicativos de terceiros.

  1. Acesse o site da sua conta Xiaomi – clique aqui
  2. Após logar, clique (ou toque) em “Contas & Permissões”.
  3. Remova a Mi Fit.

Reinicie o aplicativo em seu smartphone (talvez seja necessário reiniciar o aparelho) e faça novamente o pareamento normalmente.

Nokia adquire Withings e mira em produtos de saúde

Nokia adquire Withings e mira em produtos de saúde
Nokia adquire Withings e mira em produtos de saúde

Sei que já comentei aqui que não iria mais falar sobre notícias. Mas como não comentar algo quando se une a minha “querida finlandesa” (sim a Nokia ainda existe), tecnologia e saúde? Três dos principais assuntos aqui do NPossibilidades. O que aconteceu foi que a Nokia anunciou publicamente a aquisição da Withings, empresa francesa especializada em gadgets e wearables de saúde. Ela agora será integrada à Nokia Technologies (parte não adquirida pela Microsoft).

Segundo o presidente da Nokia, Ramzi Haidamus, “a Withings partilha a nossa visão para o futuro da saúde digital e os seus produtos inteligentes e bem desenhados contribuem para vidas mais saudáveis. Combinando os seus produtos premiados e pessoas talentosas com a experiência de classe mundial e inovação da Nokia Technologies nos posiciona exclusivamente para liderar a próxima onda de inovação em saúde digital”.

Ainda sobre a opinião da empresa, esta está otimista quanto ao crescimento do setor da saúde digital e conetada assim como o espaço ocupado no mercado pelo desenvolvimento da “Internet das Coisas”.

Para quem não conhece a Withings, ela se firmou neste mercado como uma das principais empresas deste nicho com ótimos produtos vencedores de inúmeros prémios em todo o mundo.  Dentre eles termômetros inteligentes, smartbands de atividades pessoais, balanças inteligentes e outros.

Não vejo a hora de que esta aquisição dê frutos com novos aparelhos, acessórios e aplicativos voltados para o esporte e/ou saúde.

O futuro dos notebooks é perder as portas de conexão?

O futuro dos notebook é perder as portas de conexão? Precisamos mesmo de tantas portas?
O futuro dos notebook é perder as portas de conexão? Precisamos mesmo de tantas portas?

Tenho visto por ai uma série de comentários atacando e/ou elogiando o último lançamento da Apple na linha de notebooks, o Macbook. Alguns reviews dizem que é o notebook do futuro, outros reclamam (como sempre) da falta disso ou daquilo. Não vou entrar neste mérito, muito menos em questão de preços (sim é muito caro) até porque o foco aqui é outro. A questão que quero falar é sobre a perda de portas de conexão.

Antigamente os notebooks vinham com uma série de portas de nomes complicados, muitas delas a maioria das pessoas sequer sabia para que servia. Algumas eram muito específicas para determinados grupos de usuários, outras até que tinham usos bem comuns. Lembro de ver alguns computadores com portas paralelas, portas COM, Firewire, Thunderbolt, rede, USB, VGA, HDMI, saída/entrada de áudio, entradas para telefone, rede, cartão PCMCIA, cartões de tipos diversos (CF, SM, MMC, SD, MemoryStick, xD…), além dos também aposentados drivers de disquete, CD/DVD. Isso tudo sem contar a entrada de energia. Se procurar irão encontrar outras diversas que já existiram, mas já deu para entender né?

Antes que digam alguma coisa, não, não estou defendendo a Apple que cortou quase todas as portas neste novo computador. Estou apenas compartilhando uma opinião. Depois de ler vários reviews e comentários parei para observar o uso que utilizo conectado ao meu computador, um Macbook Air 2011.

Este tem uma entrada para cartões à qual utilizei apenas uma vez para testar se funcionava, isso foi quando comprei o computador. Há uma porta Thunderbolt que já foi utilizada diversas vezes para conectar outro monitor, mas há tempos caiu no esquecimento. Já as portas USBs só uso no trabalho para transferência de arquivos (via pendrive) por questões de bloqueio da rede (corporativa) para transferência via conexão sem fios, e ainda assim quando preciso é de apenas uma.

As únicas entradas que realmente faço uso constantemente são a de fone de ouvidos (que poderia deixar de usar com um fone Bluetooth) e a MagSafe (para carregar bateria). Sendo assim, neste ponto (falta de portas), o novo Macbook não me parece ser algo tão absurdo quanto vejo as pessoas criticarem, pelo menos para o meu uso. Ok, o USB tipo C não conta ainda com qualquer tipo de acessório ou periférico, mas isso tende a mudar com o tempo. Antes ninguém usava pendrive, era tudo com disquete e CD. Quem utiliza isso hoje?

Nós gostamos muito de criticar o que é novo mesmo antes de testar. Que tal pensarmos um pouco no que realmente usamos/precisamos?