Filho não atende ligação ou mensagens? Fácil resolver

Vivem com smartphones na mão mas não atendem seus pais. Como resolver?
Vivem com smartphones na mão mas não atendem seus pais. Como resolver?

Recentemente o “Show da Vida” (também conhecido como Fantástico) mostrou um aplicativo criado por um pai inglês para poder forçar o filho a responder toda vez que este tentava entrar em contato. Como sempre só esqueceram de falar o nome do aplicativo (ReplyASAP). Não é a primeira vez que este tipo de assunto entra na pauta do programa. Já mostraram um outro criado por uma mãe americana que passava pelo mesmo problema.

Sou do tempo que isso se resolvia de maneira muito menos tecnológica mas bem mais efetiva: Uma boa chinelada na criança/adolescente desobediente. Bastava uma vez para que nunca mais isso acontecesse. Mas como as coisas mudaram (para melhor?!?) falar nesta solução hoje causa muito mimimi.

Então vamos à uma dica que resolve sem ter de apelar para aplicativos de terceiros. Esta vai especificamente para usuários de iPhone.

A Apple disponibiliza um aplicativo chamado Buscar Meu iPhone que serve para outro fim, mas que também pode ser utilizado para resolver esta questão.

Primeiro você precisa configurá-lo:

Ativando o Buscar Meu iPhone
Ativando o Buscar Meu iPhone
  1. Toque em Ajustes > [seu nome] > iCloud. Se o dispositivo tiver o iOS 10.2 ou anterior, acesse Ajustes > iCloud.
  2. Role para baixo e toque em Buscar iPhone.
  3. Deslize o controle para ativar as opções Buscar iPhone.

Observação: O Apple ID de seu filho deve estar cadastrado como dependente do seu para isso funcionar. Para isso é só configurar o compartilhamento familiar (siga esta dica da Apple).

  1. Certo, feito isso abra o aplicativo Buscar Meu iPhone e encontre o dispositivo de seu filho(a) na lista.
  2. Toque em Ações > Modo perdido.
  3. Ative o Modo Perdido > Digite o seu número de contato.
  4. Na próxima tela você pode colocar algum recado como: “[Fulano] me ligue de volta ou seu telefone continuará bloqueado”.

Neste momento a única coisa possível com o telefone de seu filho será telefonar para o número que você informou no passo três acima. 😉

Para desbloquear o telefone:

  1. Abra novamente o Buscar Meu iPhone e encontre o dispositivo de seu filho(a) na lista.
  2. Toque em Ações > Modo perdido.
  3. Desative o Modo Perdido.

A lista de desejos na App Store do iOS sumiu. E agora?

O iOS novo veio cheio de modificações interessante, visual novo, recursos melhores e uma série de facilidades. Mas uma coisa que se perdeu no caminho foi a Lista de Desejos que estava presente na App Store e também na iTunes Store. Não sei se isso foi uma decisão definitiva ou temporária da Apple, mas é algo que me incomodou.

Ontem no Twitter percebi, através de uma dica do amigo Gustavo Faria (CocaTech) que isso está sendo sentido também por outras pessoas. Então resolvi compartilhar a maneira como eu resolvi driblar esta situação. A dica é simples mas pode ser útil.

Existem aplicativos que fazem algo até com mais recursos (recomendo dar uma olhada na dia do Coca) mas eu opto por tentar manter o básico e ficar com alguns recursos nativos do sistema. Minha escolha foi gravar a minha lista de desejos no aplicativo Notas do próprio iOS.

Organizando a "Lista de Desejos"
Organizando a “Lista de Desejos”

Basta criar nele uma pasta para armazenar o que quiser. No meu caso criei uma para aplicativos e jogos e dentro dela uma nota para cada tipo: Jogos AR, aplicativos, editores de vídeo, esportes… Isso vai conforme a necessidade. Acaba que fica ainda mais organizado e limpo que a antiga Lista de Desejos nativa.

Como ele já é integrado tanto com o iPhone quanto com o Mac fica fácil de utilizar. Quando encontrar algum aplicativo interessante basta tocar no botão de compartilhar (aquele com 3 pontinhos “…”) e em seguida selecionar Notas. Escolha a nota que quiser (ou crie neste momento) e pronto.

Vantagens desta solução

  • Não precisa instalar outro aplicativo / criar outra conta.
  • Organização.
  • Lista compartilhada automaticamente entre todos os seus iGadgets.
  • Edição da lista em grupo caso opte por compartilhar a nota com alguém.
  • Funciona com qualquer outra opção como iTunes Store, podcasts, lojas online…
  • De graça

Desvantagem desta solução

  • No caso da App Store não avisa quando itens mudam de preço como fazem alguns aplicativos. Infelizmente.

Cycling Workout Plus – Aplicativo para prática de spinning

Cycling Workout Plus - Aplicativo para prática de spinning
Cycling Workout Plus – Aplicativo para prática de spinning

Dando sequencia nas dicas de aplicativos para ciclismo, hoje vou indicar um para os praticantes da versão indoor, o famoso spinning. Claro que esta dica não é para substituir as aulas de academia que contam com um profissional de educação física. O aplicativo de hoje é mais indicado para quando não se tem como frequentar aulas. É para, por exemplo, utilizar na academia de seu condomínio, em viagens de férias ou à negócios e outras situações que acharem necessário.

O Cycling Workout Plus trás para a tela do iPhone/iPad (não existe para Android) sessões deste tipo de esporte. Ele apresenta, de forma bem clara, o tempo total da sessão, a posição em que se deve pedalar e segurar no guidão, o tempo de cada exercício, a resistência que se deve aplicar à pedalada e também a cadência do movimento.

Não preciso dizer que isso se aplica especificamente à bicicletas para prática de spinning, que são bem diferentes das ergométricas.

Na versão completa do aplicativo (custo de $0,99) é possível criar suas próprias sessões de treino. Recomendo que isso seja feito junto à um profissional da área de educação física para que se possa obter resultados mais efetivos. Por falar nisso, há também uma opção para planejar os dias em que deseja pedalar. Esse planejamento é adicionado ao seu calendário com direito à notificação antes de cada treino.

O aplicativo é bem simples e acredito que caberiam algumas melhorias, mas o básico está lá para ser utilizado. Como sugestão aos desenvolvedores deixo a ideia de acrescentar integração com o “saúde” da Apple e também com frequencímetros.

Existe uma versão gratuita que conta apenas com uma sessão básica para testes. Ela não permite modificações ou mesmo a criação de novos exercícios e é recheada de propagandas, mas é interessante para conhecer o aplicativo sem gastar dinheiro para isso.

Para adquirir a versão completa do Cycling Workout Plus, basta clicar aqui.

Como transferir fotos e vídeos para o rolo da câmera dos iPhones e iPads

Como exportar fotos e vídeos para o iPhone e iPad
Como exportar fotos e vídeos para o iPhone e iPad

Recentemente passei por uma situação um tanto inusitada para mim. Precisava transferir alguns vídeos que gravei com uma câmera para dentro do iPhone. A idéia era utilizar alguns aplicativos para fazer edições nestes vídeos. O problema é que como sabem a transferência neste sentido (computador para iTreco) não é muito do feitio da Apple.

Mais um detalhe, no meu caso as soluções via Wi-Fi (Portal, InstaShare, Pushbullet…) não são opções viáveis pois várias das redes que utilizo (normalmente as de trabalho) não permitem este tipo de transferência. O AirDrop seria uma possibilidade se meu Macbook Air permitisse fazer essa conexão com o iPhone.

A solução que consegui é um tanto “caseira”, mas resolveu. O primeiro passo foi instalar no iPhone um aplicativo com capacidade de exportação para dentro do rolo da câmera do iPhone. Para isso escolhi o Documents da Readdle. Gratuito e conta com diversos outros recursos interessantes, mas que não são o foco agora.

A primeira etapa, no computador:

  1. Conecte seu iPhone ou iPad em seu computador.
  2. Inicie o iTunes e espere que este detecte o seu dispositivo.
  3. Uma vez detectado, clique no botão iPhone (ou iPad) no canto superior da janela do iTunes.
  4. Clique em “Aplicativos” e role a tela até que apareça a seção “Compartilhamento de Arquivos”.
  5. Na lista, selecione o aplicativo “Documents“.
  6. Neste ponto basta arrastar e soltar os vídeos ou as fotos do seu computador para o painel ao lado direito.
  7. Suas fotos e vídeos selecionados serão transferidos para o armazenamento local do aplicativo Documents.

Segunda etapa, no iPhone/iPad

  1. Abra o aplicativo Documents no seu dispositivo iOS e vá até o local onde seus arquivos estão aguardando. No meu caso ficaram em uma pasta chamada “Arquivos do iTunes”.
  2. Abra esta pasta e selecione a imagem.
  3. Toque nos três pontos e depois em “Salvar no Rolo da Câmera”.
  4. Pronto, agora você já pode utilizar estas fotos e vídeos no aplicativo que quiser.

Há como fazer um procedimento direto do computador para o aplicativo Documents sem utilizar o iTunes, mas ai volta a ter de utilizar Wi-Fi. É mais simples, mas também mais lento e dependerá de permissões da rede utilizada permitir isso.

Fica a dica.

Atualização: Alguns passos foram modificados em uma das últimas atualizações do Documents e ficou ainda mais simples.

Download na iTunes App Store

WD My Cloud – Sua própria nuvem pessoal

WD My Cloud - Nuvem pessoal
WD My Cloud – Nuvem pessoal

Hoje falar em nuvem de dados é algo bastante comum. Nomes como Dropbox, Google Drive, iCloud, OneDrive são mais que conhecidos. Mas e nuvem própria? Sim, é possível ter uma armazenada ai na sua casa, escritório ou onde mais achar conveniente. Tenho testado há algum tempo o WD My Cloud, um NAS (Network Access Storage) básico voltado para uso doméstico.

Há alguns modelos semelhantes da marca que vão de 2 a 4 TB os quais bastam estar conectados ao roteador para permitir acesso remoto ao seu conteúdo. O que tenho em mãos é o de menor capacidade (2TB) mas todos podem ser ampliados bastando conectar outro HD externo em sua porta USB (3.0).

Gostei do fato deste ter um visual bem limpo e discreto, sendo basicamente branco com uma pequena parte cinza. A única luz frontal (azul) é bem sutil e pode ainda ser desligada caso queira. Lembrando que esta indica o status do NAS. A conexão com o roteador é feita exclusivamente através de cabo e pode ser tanto a 100 Mb/s ou 1 Gb/s, dependendo do seu roteador. No meu caso conectei a um Apple Airport Express sem a menor dificuldade.

Falando nisso, outro dia me perguntaram se a instalação e configuração é complicada. Não, é bem simples e não requer muitos conhecimentos técnicos. Após conectá-lo ao roteador é só acessar o endereço “http://wdmycloud” e seguir as instruções. Basicamente é só escolher o idioma, login e senha para o primeiro acesso. Depois, se for o caso é possível criar outros usuários, cada um com seu acesso diferenciado. Há outra maneira de fazer esta instalação através de programa próprio da WD (disponível para OSX e Windows). Seguindo pela instalação sem aplicativo, após a criação do usuário você será redirecionado para uma tela de administração com diversas configurações e informações. É aqui também que se pode atualizar o firmware do sistema.

WD My Cloud - Tela inicial
WD My Cloud – Tela inicial

Sobre o sistema, não espere muita coisa avançada. Nada de instalar cliente de Torrent, servidor web, download automatizado, sincronia com outras redes… O WD My Cloud tem o intuito de funcionar como armazenamento de dados e backup (funciona muito bem com o Time Machine dos Macs). Se você tiver algum dispositivo com DNLA (como uma smartTV) é possível acessar seus arquivos de mídia e até mesmo a biblioteca do iTunes. Claro que isso também funciona através da internet, afinal é para isso que serve um NAS.

Falei que dá para conectar um HD externo ao WD My Cloud certo? Não preciso dizer que o mesmo serve para pendrives. Tanto um quanto o outro podem ser utilizados não apenas para ampliar a capacidade de armazenamento, mas também para criar pontos de segurança, os “Safepoints”. Assim é possível recuperar seus dados se houver alguma falha grave no NAS. Gostei disso apesar de esperar nunca precisar restaurar arquivos desta forma, mas é bom saber que há esta opção.

Se o programa para desktop é útil, os aplicativos móveis não ficam atrás. Não testei as versões para Windows Phone ou Android, apenas a do iOS, e esta digo que funciona muito bem. Neste aplicativo há possibilidade de acessar não só o NAS mas também outras redes como Dropbox, Google Drive e OneDrive (senti falta do iCloud). Com isso optei por desinstalar o outro aplicativo que utilizava antes para centralizar tudo isso no My Cloud.

WD My Cloud - Aplicativo iOS
WD My Cloud – Aplicativo iOS

A velocidade de acesso aos arquivos, independente da maneira que fizer, é boa. Apenas as primeiras transferências demoraram consideravelmente porque armazenei tudo que tinha espalhado em outros HDs, pendrives e CDs/DVDs (sim, ainda tinha alguns, agora acabou). Um detalhe legal do WD My Cloud é que há também a possibilidade de criar pastas públicas para compartilhar arquivos com quem quiser. Tome cuidado com o que vai compartilhar e evite fazer pirataria. 😉

Minha opinião sobre o WD My Cloud: Gostei bastante do equipamento e está me atendendo muito bem. Os backups via Time Machine estão funcionando sem problemas e sequer percebo quando estes acontecem. O recurso de ser avisado via e-mail quando algo errado acontece (reinício de sistema por exemplo) é bastante útil. Acesso móvel através de smartphone também é uma mão na roda.