Cozinha é ambiente geek?

Cozinha é ambiente geek?
Cozinha é ambiente geek?

Estava pensando outro dia e cheguei a conclusão de que se tem um ambiente de boa parte dos lares que se tornou bem geek nos últimos tempo é a cozinha. Duvida? Então observe a quantidade de utensílios que mudou de uns tempos para cá.

Não, não vou falar aqui sobre geladeiras inteligentes que fazem compras pela internet, impressoras 3D de comida, balanças que identificam os itens do prato e informam a quantidade de calorias… Nada disso. Esses são produtos muito legais mas que vão demorar a se tornar algo comum por aqui.

Hoje estou falando de produtos que estão nas cozinhas da maioria das pessoas e que foram chegando quase sem serem percebidos. Provavelmente você que está lendo isso tem algum(s) destes em casa. Não muito tempo atrás era basicamente tudo feito no fogão a gás e hoje ele pode ser aposentado sem grande problema (esquece fogão à lenha, isso não é do seu tempo).

Só para citar alguns objetos geeks nas cozinhas: Microondas, lavadora louça, panela de pressão, panela de arroz, fritadeira sem óleo, máquina de fazer pão, cafeteria de cápsulas, multiprocessadores, chaleira, cooktop… tudo elétrico, tudo programável ao toque de botões. Alguns destes sequer tem botões, são pequenas telas de toque. E é só entrar nos sites das lojas de produtos de cozinha que verão muitos outros gadgets do que os desta pequena lista.

São tantos aparelhos para tornar a coisa mais fácil que basta colocar os ingredientes em seus respectivos lugares, apertar alguns botões e ir tomar um café. Café este que você não precisou de um filtro de papel, não derramou pó no chão e não vai precisar de uma garrafa térmica já que fez a quantidade certa para este momento. Foi só colocar uma cápsula na máquina e ligar. Simples assim.

Lembram dos livros gigantes de receitas (os mais velhos irão lembrar da “Dona Benta”) e dos caderninhos amassados com receitas de família? Esquece, está tudo agora nas telas dos tablets com opção para buscar por ingrediente, tipo de comida, tags e o que mais achar interessante.

Por falar nisso, e aprender a cozinhar que antes era passado de geração em geração? Normalmente era de mãe para filha que acontecia isso. Hoje é tudo conectado e globalizado. Eu mesmo aprendi a fazer pratos japoneses com um chef de Nova York sem sair da minha cozinha através de um simples aplicativo.

Faltou algum ingrediente? Adiciona na lista de compras, mas esqueça os pedaços de papel. Tudo agora vai via smartphones e fica compartilhado entre sua família, onde você informa em tempo real a todos quando coloca cada produto no carrinho do mercado.

E ai, a cozinha é ou não é um ambiente geek?

Rádio FM em smartphones é realmente necessário?

Passado e futuro - Escolha seu rumo. Rádio FM em smartphones é realmente necessário?
Passado e futuro – Escolha seu rumo. Rádio FM em smartphones é realmente necessário?

Saiu uma notícia outro dia que está dando o que falar. Uma associação norte-americana (National Association of Broadcasters (NAB)) quer que fabricantes de smartphones ativem os receptores de FM instalados em seus produtos. A NAB alega que com esta ativação os usuários passariam a ter economia de bateria e de plano de dados já que atualmente há muita demanda por músicas via streaming online.

O pedido é justo? Do ponto de vista das tradicionais emissoras de rádio sim, mas e da evolução tecnológica? Pessoalmente não utilizo mais os serviços das FMs e AMs há bastante tempo pois troquei por podcasts. Sei que muitas pessoas ainda escutam suas músicas/notícias utilizando as rádios, mas vamos lá, já não está na hora de dar o próximo passo?

Não estou falando de músicas online como substituto, até porque acesso à Internet aqui no Brasil ainda é luxo e funciona bem mais ou menos. Esse manifesto da NAB me parece aquela “mania do velho” (não estou me referindo à idade), aquele apego ao antigo e medo do novo. Me lembrou a história de uma associação de livreiros brasileiros tentando impedir a entrada de livros digitais no país.

Mas o que poderia substituir as “frequências moduladas (FM)”? Simples, rádio digital. Sabiam que existem diversos padrões diferentes que poderiam ficar no lugar das transmissões atuais? Com isso há “melhoria da qualidade do som (rádio AM com qualidade de FM e rádio FM com qualidade de CD) e em mais opções para o ouvinte, como letreiros digitais com informações adicionais como notícias e previsão do tempo” – texto da Wikipédia.

Atualmente estão em uso/teste os seguintes formatos: IBOC (In-Band On-Channel) – americano, DAB (Digital Audio Broadcasting), DAB+ e DRM (Digital Radio Mondiale) – europeus, ISDB-TSB (Integrated Services Digital Broadcasting, Terrestrial, Segmented Band) – japonês e Sirius, XM e World Space (rádios via satélite). Ou seja, não faltam opções para ficar no lugar da antiga FM.

Mas voltando aos motivos da NAB. Para mim fica claro que ela está fazendo isso pois as emissoras de rádio normais perderam seus usuários com tantas opções online chegando ao mercado. Já do lado das fabricantes de smartphones, principalmente a Apple, a idéia é vender música ou assinatura de serviços online.

Que tal a gente “pensar fora da caixinha” (ok, frase bem manjada) e começar a conhecer outras opções ao invés de ficar olhado para trás?

Você usa seu smartphone realmente como smartphone? Parte 2

Você usa seu smartphone realmente como smartphone? Parte 2
Você usa seu smartphone realmente como smartphone? Parte 2

Faz alguns dias que publiquei aqui no site algumas das automações que faço em meu smartphone (confiram na primeira parte deste post). Neste falei um pouco da minha visão do que realmente acredito ser um uso “smart” para os ditos celulares inteligentes que tanto gostamos hoje. Acontece que muitos pediram para que eu contasse quais aplicativos utilizo para tudo o que descrevi e como configurá-los para isso. Então segue abaixo uma breve explicação de todo o processo.

Nokia SituationsOnde encontar
Este é um dos principais aplicativos que faço uso. Com ele é possível determinar o que o aparelho deve fazer em determinadas situações. Muito prático, leve e o melhor, gratuito. Nos exemplos que deixei no post anterior citei algumas ações em que este aplicativo age. Seguem as explicações rápidas do como o configurei:

  • No carro
    Primeiro criei um perfil chamado Dirigindo. No Nokia situations marquei em “Lauch Application” o aplicativo piPOIAlert. Na aba “Conditions”, marquei em “Bluetooth device”, o som do meu carro que já havia sido pareado previamente. Desta forma, toda vez que meu aparelho identifica que está próximo ao veículo ele muda de status e ativa o programa. Agora com a versão Belle ficou ainda melhor pois o Nokia Situations permite selecionar mais de um aplicativo para ser executado e posso acionar também o “Nokia Carmode”.Fica a dica para quem tem em seu carro um sistema com aquelas telas sensíveis ao toque. Existe uma outra versão do Carmode com espelhamento. Ela mostra as informações do aparelho nesta outra tela.
  • Perfil desconectado à noite
    Ainda no Nokia Situarions, para que meu aparelho não toque ou receba mensagens enquanto durmo, selecionei o perfil “desconectado” e em seguida na aba “Conditions” selecionei a opção “Time”. Neste coloquei em “Start Time” o horário para trocar para o perfil desconectado e em “End Time” o horário para voltar ao normal.Estas configurações podem ser facilmente adaptadas para as mais variadas situações, vai da necessidade de cada um alterá-las para suas necessidades.

Previsão do tempo na tela ao acordar pela manhã
No aplicativo World Traveler, basta selecionar Opções / Configurações. Em “Intervalo de atualização” é só colocar “Diariamente”. Para aparecer na tela logo cedo escolha em “Visualizar previsão do tempo” o horário da manhã que deseja que esta previsão seja mostrada.

Sincronização de dados e contatos automática
Infelizmente esta opção não está mais disponível. Não pelo sistema, mas pelo site que fazia isso. Ela aparecia no antigo portal Ovi.com quando ainda tinha a página de gerenciamento de contatos e agenda. Se alguém souber de outra solução na nuvem para isso, por favor compartilhe aqui nos comentários.

Atividades diárias na tela
Para exibição de atividades diárias na tela, simplesmente instale o widget BizCalendar (ou qualquer um do tipo). Ele mostra uma área com todas as suas próximas atividades.

Troca de proteção de tela de acordo com o horário
Instale o aplicativo Nokia Bubbles. Após isso, abra “Configurações do Symbian / Temas / Descanso de tela” e escolha “Sleeping Screen”. Nele escolha uma proteção que deseja para o dia e na parte inferior, em “Set the night mode”, escolha a única opção presente. Desta forma serão mostrados dois outros campos para informar o horário em que irá mudar para o modo noturno e o horário que voltará ao modo normal.

Sair de reuniões chatas
Esta é uma situação que não citei no post anterior, mas que vale a pena ser comentada pois uma certa “automação inteligente” do seu smartphone pode ser bem útil em momentos em que tudo que você quer é sair de uma reunião chata ou de perto daquelas pessoas que não param nunca de falar. Basta instalar o aplicativo Desguiator e acioná-lo antes de entrar em uma destas situações. Quando quiser sair é só dar dois tapinhas discretos no aparelho (por exemplo no bolso) para que ele simule que está recebendo um telefonema. Daí é só sair para atender.

Você usa seu smartphone realmente como smartphone?

Você usa seu smartphone realmente como smartphone?
Você usa seu smartphone realmente como smartphone?

De uns tempos para cá a moda do smartphone pegou mesmo. São milhares de aparelhos vendidos todos os dias no mundo. Cada hora que passa (antes levavam dias para isso) vemos lançamentos os mais diversos possíveis. Processadores DUAL Core, Quad Core, não sei quanto de espaço de armazenamento, telas cada vez maiores, 3D, conexões de inúmeros tipos, isso e aquilo. Tudo cada vez mais rápido, mais caro e mais mais mais…

Fico me perguntando onde é que essa correria vai parar. Os celulares viraram smartphones e estes estão virando supercomputadores de bolso. Mas para que tudo isso? O que realmente precisamos no meio de tantos dados e tantos recursos? O que é que estamos fazendo? Já pararam para pensar que assim como aconteceu com os telefones celulares, que a maioria nem lembra que eram para telefonar, os smartphones estão se perdendo e deixando de ser realmente “smarts” (inteligentes). Eles estão se aproximando cada vez mais de outra categoria e passando a virar tablets com hardware de PCs, mas e a inteligência disso tudo?

Os mais antigos no mundo da tecnologia devem lembrar da época dos “palms” ou PDAs. Eles tinham diversos recursos ótimos para aquele período, mas não eram muito “smarts”. Eles atendiam a praticamente todas as necessidades que tínhamos mas faziam apenas o que era mandado fazer quando era dado um determinado comando.

Para entender melhor o ponto aonde quero chegar, vai uma pergunta para você que está lendo esta matéria agora. O que realmente faz de smart com seu smartphone? O que é que seu aparelho faz mesmo quando você sequer está olhando para ele? Aposto que a maioria vai dizer: Baixa e-mails ou verifica redes sociais. Sim, ok, mas o que mais?

Vou dar um exemplo pessoal no que faço com o meu aparelho de uso principal para mostrar o que considero um “uso smart”. Deixando claro que não estou aqui defendendo este ou aquele aparelho/sistema. Cada um tem a sua preferência e seja qual for sua opção basta associar os recursos do disponíveis para as suas necessidades. Aliás, acho que este é o segredo para tornar os aparelhos mais úteis.

A rotina do meu aparelho é a seguinte:

Toda manhã alguns minutos antes do horário que acordo normalmente ele entra sozinho em modo normal (ativa as conexões, altera proteção de tela, volumes e toques). Após este momento se conecta à minha rede e atualiza a previsão do tempo (à qual fica na tela esperando para eu checar), isso ao mesmo tempo em que sincroniza minha agenda de contatos e eventos com um serviço on-line. Estes eventos, semelhante ao que acontece com a previsão do tempo, ficam visíveis na tela inicial através de um widget para que eu saiba logo cedo o que tenho programado para o dia. Depois de tudo isso ele toca para me despertar. Antes até deixava que ele também baixasse meus e-mails, mas esta tarefa passei para o iPad já que lá é bem mais cômodo. O único recurso que gostaria de automatizar no meu smartphone, e que ainda não fiz é o download automático dos podcasts que ouço diariamente.

Continuando a rotina, assim que entro no carro para ir trabalhar o aparelho se conecta ao som e muda o perfil atual para um que designei como “Modo direção” o qual ativa um aplicativo que me avisa da proximidade com sensores de velocidade nas ruas através de aviso na tela e sonoro nos auto-falantes. No momento em que saio do carro volta ao perfil normal e fecha o aplicativo. Isso tudo acontece todas as vezes em que entro no meu carro.

Já a proteção de tela é totalmente desativada toda vez que coloco o aparelho no bolso e volta ao normal quando o retiro de lá. Faço isso para economizar um pouco da bateria. Esta também muda para exibição de ícones de alerta toda vez que chega um SMS, e-mail ou quando a bateria está acabando. Com o toque em um botão apenas ela exibe ícones de acesso rápido aos principais recursos que uso normalmente (telefonar para contatos específicos, mudar perfil, tocar/pausar o player de áudio ou iluminar a tela com se fosse uma lanterna).

Já durante a noite o aparelho altera sua proteção de tela para uma que ilumine menos e não incomode tanto no escuro (fundo preto e fonte vermelha) ficando assim durante toda a noite. Lá pelas tantas, ele muda seu perfil para um totalmente desconectado. Faço isso pois não preciso/quero receber ligações, mensagens ou o que for enquanto durmo. Esta mudança acontece apenas se eu estiver em casa. Caso o aparelho perceba que estou em outro local ele continua em modo normal.

Esqueci de alguma coisa? Ah sim, nos finais de semana o horário em que ele me desperta é diferente (mais tarde claro) dos outros dias da semana e se por acaso resolvo ir à igreja perto de casa (coisa mais que rara) ele muda de perfil ficando totalmente em silêncio só voltando ao normal quando saio de lá.

Bom, os leitores assíduos do NPossibilidades sabem que não tenho um aparelho ultra moderno com o sistema mais badalado ou o hardware mais parrudo. Apesar de estar sempre por dentro das novidades, testando os novos aparelhos que surgem tenho um aparelho de dois anos de mercado, com um sistema que muitos consideram morto. Faço tudo isso que comentei aqui com um simples Nokia N8[bb] exatamente porque este é o aparelho que melhor me atende hoje. Como disse, o segredo para um bom aparelho não é seu hardware, mas seu uso.

Agora volto a perguntar: Você usa seu smartphone realmente como smartphone?

Atualização: Confiram aqui a segunda parte deste post. Nela mostro quais aplicativos utilizar e como configurá-los.

As pessoas estão se tornando mais geeks ou é apenas modismo?

Brasileiros estão mais geeks?
Pelo menos é o que parece nos aeroportos e hotéis

Quem acompanha o NPossibilidades no Twitter sabe que durante este feriado passado fizemos uma pequena pausa para descanso. Mas como todo geek blogueiro ligado em tecnologia não fiquei parado e fiz algumas pequenas observações sobre como anda a tecnologia no dia a dia das pessoas.

Em todas as viagens que já fiz a cena mais, principalmente nos aeroportos, eram as pessoas sentadas nos salões de espera com seus notebooks no colo ou procurando uma tomada. Smartphones eram comuns mas ainda assim perdiam em quantidade para a quantidade de aparelhos comuns de celular. Tablets? Coisa muito rara.

Mas hoje a situação está mudando muito rápido. Não sei se é modismo, se são promoções de operadoras de telefonia, se é o poder de consumo das pessoas que está melhorando… Só sei que o cenário, pelo menos neste feriado, estava completamente diferente.

Notebooks eram raridade. Vi apenas uns três ou quatro. Netbooks também foram poucos os que vi, uns dois à beira da piscina do resort e um no aeroporto. Já os tablets parecem estar mesmo caindo no gosto popular, mesmo ainda não tendo preços elevados. Observei uns sete iPads e apenas um Galaxy Tab. Não encontrei nenhum outro modelo de tablet, nem mesmo Xing-Ling.

Smartphones foram sem dúvida alguma os mais vistos. Quase não vi mais celulares comuns. Foram algo em torno de trinta aparelhos (incluindo um Samsung espanhol que encontrei e devolvi ao dono). Dentre as marcas/sistemas mais vistos apenas um era Android (Galaxy S) e dois ou três BlackBerrys. Muitos aparelhos Nokia da série E (E71, E72, E5…), série N apenas o meu N8, dois N95 dos modelos clássicos e alguns poucos 5800.

Mas pensam que estes foram a maioria? Muito longe disso. Sem dúvida alguma o modelo mais visto foi o iPhone 4. Incrível como tem gente com este aparelho. É de assustar como este aparelho foi bem aceito pelas pessoas. Ele é um bom aparelho? Sem dúvidas! É um dos maiores sonhos de consumo tecnológicos das pessoas, mas ainda assim custa caro. Para cada smartphone que eu via, independente de marca, pelo menos dois eram iPhone e destes dois um era iPhone 4.

Outro gadget que também observei bastante foram os games portáteis. Poucos PSPs e muitos Nintendo DS (não me pergunte qual modelo), mas todos nas mãos das crianças. Pelo visto este segmento está ficando mais voltado para a criançada por enquanto. Acredito que logo estes aparelhos serão substituídos pelos tablets também.

Já as câmeras fotográficas ainda reinam no seu meio, haviam muitas por perto. Apesar dos smartphones com boas câmeras estarem cada vez mais comuns, os equipamentos dedicados mostram resultados muito superiores e de qualidade sem igual.

De qualquer forma, o que interessa é que os brasileiros estão cada vez mais tirando partido dos equipamentos eletrônicos e da tecnologia por trás destes. A velocidade com que as pessoas estão absorvendo estes produtos é assustadora. Não é àtoa que o Brasil está cada vez mais sendo visto com bons olhos pela indústria deste setor. Só falta baixarem os impostos por aqui para melhora ainda mais estes consumo.